Parques

Parque Nacional do Caparaó

Apresentação

  • Alto Caparaó - Cume do Pico da Bandeira - Siriema - Parque Nacional do Caparaó - Euclides Dayvid
  • Parque Nacional do Caparaó - Vista do Parque Nacional de Caparaó - Acervo/Prefeitura de Caparaó
  • Parque Nacional do Caparaó - Tronqueira - Vinícius Horta
  • Parque Nacional do Caparaó - Tronqueira - Vinícius Horta
  • Caparaó - Cachoeira do Fama - Fabiana Bernardes

Município(s) de abrangência
Minas Gerais: Alto Caparaó, Alto Jequitibá, Caparaó e Espera Feliz.
Espírito Santo: Dores do Rio Preto, Divino São Lourenço, Ibitirama, Iúna, Irupi.


Portaria no Estado de Minas Gerais
Inaugurada em setembro de 1998, a portaria do parque é constituída de uma guarita com cancela, banheiro, telefone público e estacionamento. Conta com serviço de vigilância 24 horas, equipados com rádios comunicadores e telefone. É destinada à cobrança de ingressos bem como à orientação aos turistas e distribuição de panfletos e sacolas para lixo. O acesso ao parque é limitado, sendo também proibida a entrada de animais domésticos, fogos de artifício ou materiais explosivos, equipamentos de caça e pesca, facas de grande porte, tintas spray, coletar plantas, pedras, frutos e animais. No ato da reserva ou na portaria do parque os visitantes são informados sobre a importância de levar protetor solar, boné, capa de chuva, uma muda de roupa de reserva, lanterna, sacola de lixo, bebidas não alcoólicas e alimentos energéticos. O uso de veículos com duas rodas não é permitido devido ao grande declive apresentado no parque.


A portaria está a 4 Km de Alto Caparaó.


Distância de Belo Horizonte a Alto Caparaó
334Km.


Portaria no Estado do Espírito Santo
A portaria está no Distrito de Pedra Menina, a 27km do município de Dores do Rio Preto.


Distância de Vitória a Dores do Rio Preto
231Km


Como chegar
A partir de Belo Horizonte, seguir pela rodovia 262 até o entroncamento da MG111, à direita, após Manhuaçu. Ao entrar na MG111, seguir mais 21 km até Alto Jequitibá, passando por Manhumirim. De Alto Jequitibá, seguir mais 12 km para Alto Caparaó. Dali até a portaria do parque são apenas mais 4km.


Sede administrativa
rua Vale Verde s/nº  -  Zona Rural - CEP 36836-000 – Alto Caparaó, MG
Telefones
32  3747-2943 (sede administrativa)
32  3747-2086 (portaria)


Centro de visitantes
Construído em 2002 / 2003, o Centro conta com espaço disponível para exposições, formado pelo salão de ingresso, mezanino e auditório para 64 pessoas equipado para apresentações de filmes e vídeos. Na área externa do centro, existem três banheiros, loja de souvenir e lanchonete.


Infraestrutura
Interna:
- 2 residências funcionais, 1 alojamento para pesquisadores, 2 alojamentos para funcionários.
- 1 sede administrativa (com sala de reuniões, recepção, sala de rádio, xerox, sala do diretor, 4 salas técnicas, 1 dispensa, 2 banheiros e 1 cozinha).
- Centro de visitantes: 1 auditório com 60 lugares, 1 sala de exposição, 2 sanitários e 1 sala de   retroprojeção.   
- 3 postos de vigilância (Santa Marta, Pedra Roxa e Terreirão).
- 14 km de estradas internas.
- Área para camping.


Entorno:
O município de Alto Caparaó possui pousadas, um hotel, um albergue da juventude, restaurantes, farmácias e supermercados.


Horário de funcionamento
Diariamente, das 7h às 18h


Área
31.762 ha


Criação
O Parque Nacional do Caparaó foi criado pelo decreto nº 50.146, de 24.05.1961.


Objetivos
Proteger o pico da Bandeira,

Proteger amostras representativas de ecossistemas de "campos de altitude", e da floresta sub-caducifolia tropical.

Proteger espécies endêmicas e ameaçadas de extinção da fauna e flora

Assegurar uma visitação de qualidade e atividades de lazer em contato com a natureza.

 

O Parque possui extrema importância do ponto de vista da conservação internacional, por abrigar um remanescente de um dos ecossistemas mais ameaçados mundialmente e alvo de ações de proteção e conservação. Trata-se da mata atlântica.

 

Missão do Parna Caparaó
“Preservar o ecossistema do Parque Nacional do Caparaó e sua zona de amortecimento, para as gerações atuais e futuras, por meio da integração permanente e harmônica com as comunidades do entorno, promovendo à educação ambiental, o apoio a pesquisa cientifica e estrutura para as atividades de lazer em contato com a natureza.”


Visão de Futuro

“Ser reconhecido pela comunidade do entorno como um projeto da própria comunidade.”



Descrição
Situado na divisa de Minas Gerais e Espírito Santo, o Parque Nacional do Caparaó é uma das mais importantes áreas de preservação da mata atlântica no país e um local de excepcional beleza, que sempre proporciona aos visitantes paisagens inesquecíveis como o nascer do sol visto do pico da Bandeira.


Na face leste do maciço do Caparaó, situada no estado do Espírito Santo, predomina a floresta tropical pluvial, e na face oeste, no estado de Minas Gerais, ela varia conforme a altitude: até 1.800 m, floresta tropical pluvial; de 1.800 até 2.400 m, campos de altitude com formações arbustivas; e acima de 2.400 m, campos limpos incrustados entre os afloramentos rochosos.


A fauna da região foi reduzida pela ação predatória do homem, resumindo-se, atualmente, a pequenos animais relativamente comuns. No entanto, o parque abriga espécies ameaçadas de extinção como: o mono-carvoeiro (Brachyteles arachnoides), o lobo-guará (Chysocyon brachyurus) e o veado-campeiro (Ozotocerus bezoarticus), ocorrendo, ainda, outras espécies.


Com toda certeza, a palavra Caparaó, de origem indígena, tem várias versões como: casa do rio torto, ou rio curvo; águas claras que descem da montanha; casa de capara - um tipo de edificação feito com esteiras, próprio para lugares altos expostos ao vento e ao frio. Já a lenda conta que 'Ó' era o nome de um boi muito bravo que vivia dentro da área do parque, sendo temido pelos boiadeiros da região. Um dia, três destemidos boiadeiros subiram a serra e conseguiram laçar o  boi. Para comprovar o ato de bravura, caparam o ''Ó', ficando a região conhecida como Caparaó.


O parque é belíssimo, está situado numa das áreas montanhosas mais bonitas de Minas, possui vários atrativos - mirantes, trilhas, cachoeiras, áreas de camping, etc, conta uma ótima infraestrutura interna e já é um dos mais visitados do país. No entorno, o município de Alto Caparaó é o que está mais próximo e o que oferece mais alternativas de hospedagem, alimentação e passeios.


Relevo
O Parque abrange a serra do Caparaó que, por sua vez, compõe uma grande área montanhosa denominada maciço do Caparaó. O maciço integra uma extensa cadeia de dobramentos da chamada Província Geológica Mantiqueira, na denominada Faixa de Dobramentos Ribeira. Tal faixa é de eventos muito antigos, de 630-550 milhões de anos atrás. A zona Oriental da Província da Mantiqueira, na divisa entre MG e ES, onde se encontra o PNC, faz parte do Complexo Juiz de Fora.


O ponto culminante é o pico da Bandeira, o terceiro mais alto do Brasil, com 2.890m de altitude. De seu cume, pode-se avistar o mar a 100 km de distância. Outros picos de altitudes consideráveis ali são: o pico do Cristal (2.798 m), o do Calçado (2.768 m) e o do Cruzeiro (2.861 m). As áreas mais baixas chegam a 997m de altitude, no vale Verde.



Clima
A região apresenta clima tropical de altitude, com temperatura média anual entre 19 ºC e 22 ºC, sendo fevereiro mais quente e julho mais frio. A pluviosidade está em torno de 1.000mm anuais.


A região do PNC possui duas estações distintas, verão chuvoso e inverno seco, com temperaturas relativamente amenas durante todo o ano, especialmente em função das altas altitudes. O verão, ou seja, a estação chuvosa ocorre de novembro a março, sendo que os meses de novembro a janeiro são os de maior precipitação. O inverno, ou seja, a estação seca, ocorre de abril a outubro, sendo os meses mais secos de maio a setembro.


A umidade relativa do ar é sempre alta, ficando, em geral, acima de 70%, índice alto, especialmente quando comparado ao de outras áreas de MG, já que a maior parte do território do estado é seca. Por outro lado, em geral, o ES tem umidade relativa do ar mais alta, em função de ter regiões de maior extensão com condições climáticas menos secas.


Vegetação
“Na Serra do Caparaó, como na maioria das áreas serranas, a vegetação modifica-se gradativamente de acordo com a altitude. Nas partes mais baixas, a mata atlântica domina a paisagem, mas vai cedendo espaço à formação de campos, conforme a altitude aumenta. No alto, a vegetação rupestre se distribui sobre as rochas aparentes... Na encosta do Espírito Santo, que recebe os ventos provenientes do mar, predomina a mata atlântica, já bastante alterada. Hoje, apesar de ser composta, principalmente, por vegetação secundária, ainda podem ser encontradas, em locais de difícil acesso, espécies como o pinheiro-bravo e o ameaçado muriqui – o maior macaco das Américas.


Em Minas Gerais, a vegetação é mais seca, sem influência de ventos marinhos, e as matas cedem lugar aos campos de altitudes inferiores. Nas vertentes mais baixas sobressaem-se jequitibás, quaresmeiras, cedros, taquaras, samambaias. Nos campos de altitude, a flora é formada principalmente por gramíneas – como as bengalas -, bromélias, musgos e orquídeas, além de canelas-de-ema e sempre-vivas.” (IBAMA).


Fauna
A fauna, apesar de desfalcada devido à perda de habitat, conta com a jaguatirica, a onça-pintada, o gato-mourisco, quatis, gambás, guaxinins, caxinguelês, pacas, cachorros do mato e iraras. As aves são variadas: tucanos-de-bico preto, andorinhas-de-coleira, canários da terra, jacupembas, curiangos-da-faixa branca, seriemas, gaviões, saracuras, jacus e papagaios, entre outras facilmente avistáveis. Nas altitudes, encontram-se aves de rapina e espécies como as choquinhas. O Parque Nacional do Caparaó tem grande importância para a conservação das aves de montanha.


O  que ver e fazer


Vale Verde

O conhecido vale Verde é formado pelo rio Caparaó, que, neste trecho, é cercado por uma belíssima mata. Localizado próximo à sede administrativa, o vale compreende as áreas mais baixas do Parque, com menos de 1.000 metros de altitude. O curso do rio entre as rochas forma pequenas cachoeiras e poços propícios para banhos, verdadeiras piscinas naturais de águas muito límpidas. No local, existem vestiários com chuveiros e sanitários, área para piquenique e área coberta com churrasqueiras. É um dos locais mais procurados do Parque, especialmente para visitas de um dia.


Trilha Gruta do Jacu
Essa trilha, que está a uma altitude de 1.100 metros, tem início numa escadaria de pedra na área de piquenique do vale Verde. Por ser uma trilha curta, com 200 metros de extensão, é apropriada para todos os tipos de público, exceto deficientes com problemas de locomoção.


Tronqueira
Situada no caminho para o pico da Bandeira, a uma altitude de 1.970 metros, está a Tronqueira, uma importante área de apoio aos turistas, com um camping bem estruturado e um mirante que proporciona um visual fantástico da serra do Caparaó. Dali, é possível avistar as cidades de Alto Caparaó, Manhumirim e outras mais próximas. Ela é também o último ponto do Parque acessível por automóvel. Os visitantes podem acessá-la a pé, de carro ou no lombo de mulas. Os serviços de transporte em jeeps ou mulas são oferecidos na cidade de forma organizada. Os jeeps vão somente até a Tronqueira, mas as mulas alcançam com facilidade o Terreirão, a outra área de apoio do Parque que fica 4,5 km a partir da Tronqueira. Dali, o visitante pode ter acesso a outros importantes atrativos, como a cachoeira Bonita, o vale Encantado, o Terreirão, o pico da Bandeira e outros.


Cachoeira Bonita
Esta cachoeira localizada no rio José Pedro, a 350m da Tronqueira e a 1.750m de altitude, é uma divisa natural dos Estados de Minas e Espírito Santo. É a maior cachoeira do Parque com sua bela queda de 80m. Faz jus ao nome, pois, é um dos atrativos de maior beleza do Caparaó. Seu acesso é feito por trilha rústica, com um mirante a meio caminho, de onde se tem uma ampla visão da cachoeira.


Sinalizada com pequenas marcas de tinta amarela nas rochas, a trilha que liga essas duas áreas de apoio é bem sinuosa, apresenta vários afloramentos de rochas, mas não impõe dificuldades àqueles que a percorrem. O percurso de 4,5 km dura, aproximadamente, de 1h40m a 2 horas. A metade desse trecho é marcada por uma velha araucária. É ali que se tem um merecido, porém rápido, descanso. Portanto, com boa disposição física, a grande maioria dos turistas pode e deve realizar esse percurso para conhecer o famoso Terreirão, um platô situado a 2.370 metros de altitude, de onde se descortinam belíssimas paisagens. Essa trilha, que se inicia a uma altitude de 1970metros, margeia o curso do rio José Pedro, que é divisor dos estados de MG e ES. Os turistas tanto a percorrem a pé como também com apoio de animais de transporte. Há dentro e fora do parque a oferta desse serviço de transporte em mulas. No percurso para o Terreirão, o turista passará pelo Vale Encantado que fica à esquerda da trilha.


Trilha Tronqueira - Terreirão
Vale Encantado
Este atrativo está a uns 400 metros de distância do acampamento da Tronqueira, numa atitude aproximada de 2.000 metros. O vale é formado pelo rio São José, com a ocorrência de diversas corredeiras, cachoeiras e piscinas naturais. A vegetação do entorno é caracterizada pela ocorrência de arbustos e outras espécies características de campos de altitude, inclusive nos afloramentos rochosos. A trilha, que pode ser percorrida entre 10 a 15 minutos de caminhada, segue na mesma direção de quem vai da Tronqueira para o Terreirão. Ao longo da trilha, tem-se uma bela vista do vale e no final já se pode avistar o pico da Bandeira. É preciso ter muito cuidado com as pedras escorregadias do local, para evitar quedas, luxações ou torções.


Terreirão
Situado a uma altitude de 2.370, o Terreirão é mais uma área de apoio com camping do Parque. Acaba sendo uma parada obrigatória para quem está a caminho do pico da Bandeira, já que representa exatamente a metade do percurso total que é de 9 km. Dali tem-se uma linda vista do pico do Cristal. Logo acima do Terreirão, já é possível avistar também o pico da Bandeira. Além do camping, com banheiros e vestiários, no Terreirão estão também o Posto de Guardas do Parque e uma antiga construção conhecida como Abrigo de Pedras. Esse abrigo foi construído anteriormente à criação do Parque por pessoas que, na época, criavam animais naqueles campos. Essa casa antiga era utilizada como abrigo para proteção contra as chuvas e o frio. Hoje, é mais um ponto de apoio aos turistas. É comum os visitantes chegarem ao Terreirão e ali pernoitar para, na manhã seguinte, prosseguir até ao pico da Bandeira.


Trilha Terreirão - Pico da Bandeira
Essa trilha também tem um percurso de 4,5 km. A caminhada exige muito mais que no primeiro trecho, pois, além de sinuosa, é bastante íngreme e apresenta mais afloramentos de rochas. Ela também margeia o curso do rio José Pedro e leva o visitante até ao pico da Bandeira, com seu cume de 2.890 metros. Essa trilha apresenta uma vegetação predominantemente característica de Campos de Altitude, com ocorrências de algumas espécies endêmicas da flora. Do Terreirão ao pico da Bandeira, a caminhada pode durar cerca de 2 horas. No inverno, a beleza da trilha fica ainda maior quando se deparam com a vegetação coberta de finas camadas de gelo. Quanto mais se avança na altitude, a cobertura de gelo sobre a vegetação fica ainda mais espessa, mais bela, com um brilho inesquecível. Mesmo que o visitante não consiga chegar ao Pico, chegar bem pertinho já vale o passeio.


Pico da Bandeira 
O pico, terceiro mais alto do Brasil com 2.890 metros, é a grande atração do Parque. A história diz que o imperador Dom Pedro II, em uma viagem pela região, teria mandado afixar no ponto mais alto da Serra a bandeira do Império do Brasil. Este fato teria dado origem ao nome do pico.  Do local avistam-se belas paisagens, inclusive cidades próximas. Pode-se avistar também o pico do Cristal, a pedra Menina, o pico do Calçado, entre outros.


O cume é constituído por rochas. Abaixo delas, já se encontra a vegetação típica dos campos de altitude. Do pico da Bandeira, tem-se uma magnífica visão panorâmica de 360º. Chegar ao pico da Bandeira exige, de fato, um bom preparo físico e muita disposição, mas todo o esforço é recompensado pelas maravilhosas paisagens ou, conforme o caso, pelo espetacular nascer do sol. A vista do pico do Cristal que se tem dali é uma das mais lindas paisagens de Minas Gerais. No cume, existe uma cruz de cimento e uma imagem do Cristo Redentor. Há, ainda, uma torre que, em outros tempos, serviu de suporte para uma estação repetidora de sinais.


Cuidados essenciais
Se a intenção é ir ao pico da Bandeira e voltar no mesmo dia, o ideal é subir logo cedo - por volta das 8 horas no máximo – para subir tranquilo, sem se cansar muito, e para chegar ao topo por volta de 12 horas. O horário ideal para descer é 13h30m. Evite ultrapassar esse horário para descer tranquilamente entre as rochas, evitando se machucar. Quanto feita à noite, a caminhada entre a Tronqueira e o pico pode durar cerca de 5 horas devido ao frio e à má visibilidade da trilha. Nesse caso, é indispensável o acompanhamento de um guia experiente e portar boas lanternas e pilhas reserva.


Apesar do clima tropical, a temperatura mínima no cume pode chegar a – 10ºC, quase sempre acompanhados de serração. Mesmo em dias claros, a temperatura pode baixar muito e lesões podem ser causadas pelo excesso de frio.


As medidas preventivas, embora óbvias, frequentemente são ignoradas pelos visitantes. Por isso, é muito importante frisar que o uso de várias camadas de roupas quentes e a proteção contra a umidade e os ventos são essenciais.


O alongamento de partes do corpo antes de dar início a uma caminhada dessa natureza também é uma exigência.


Evite pesar a mochila e lembre-se que a alimentação durante esse trekking deve ser leve e balanceada.


A ingestão de líquidos é que deve ser abundante.


Apesar das baixas temperaturas e da necessidade de proteção, é recomendável não se agasalhar demais, porque o esforço durante a caminhada provoca muita transpiração. Mas, fique sempre atento para às partes do corpo que estejam frias demais e ou com dormência, e procure aquecê-las o quanto antes. È importante proteger a cabeça, pois, 30% da perda de calor do corpo é proveniente dela. As luvas e meias devem ser mantidas secas, tanto quanto possível, e as botas devem ser usadas com isolamentos, mas de modo a não dificultar a circulação sanguínea. Assim, é necessário regular os agasalhos. Todos devem levar camisas secas na mochila para trocar logo que chegar ao Terreirão ou quando se fizer muito necessário.


Pico do Cristal
Também muito procurado por montanhistas, o pico do Cristal está a 2.798 metros de altitude e é o 5º mais alto do Brasil, perdendo para o pico da Bandeira apenas por cerca de 100 metros. O que deu origem ao seu nome foram as formações cristalinas de quartzo que se encontram ao longo da montanha. Do alto do pico do Cristal, avista-se imponente o pico da Bandeira, com seu característico abismo no lado dianteiro e a suave parte da escalada no lado posterior. Apresentando paisagem de extrema beleza, a vegetação ali é formada basicamente por bromélias e lírios sobre afloramentos rochosos.


Para visitá-lo, é necessário entrar em contato com a administração do Parque para se informar sobre as condições. O caminho é procurado pelos visitantes para prática de trekking, especialmente por pessoas que acampam no Terreirão. Esse atrativo deve ser visitado com auxílio de um Condutor de Visitantes, pois não há marcação da trilha e do local e também existem dificuldades de transposição no trajeto final.


Fazenda Antônio Leite
Trata-se de uma casa remanescente dos primeiros moradores da região e é típica da vida rural regional. No local, ainda não aberto à visitação, existem, além da casa, um moinho, um paiol, um curral, uma moenda de cana e o típico terreiro para secar café.


A área é contornada por vegetação de mata secundária, entremeada por remanescentes das plantas anteriormente cultivadas na fazenda, como café e algumas árvores frutíferas. Há um projeto do Ibama em parceria com a UFMG/Coltec, visando sua inserção como atrativo histórico do Parque.


Fonte:  Informativos do IBAMA


Informações adicionais sobre o Parque Nacional do Caparaó no lado do Espírito Santo


O Parque possui outros atrativos no lado capixaba que, apesar de mais distantes, podem ser visitados também pelos turistas que estejam em Alto Caparaó. Dentre esses atrativos, destacam-se:


Macieira - É um platô a 1.800 metros de altitude, ao lado do rio São Domingos. Seu acesso é feito a partir da portaria pedra Menina, acesso capixaba ao pico da Bandeira. Trata-se de uma área de onde se descortina belíssima paisagem natural. Oferece área para acampar, equipada com sanitários e lava-pratos, além de um posto de guarda.


Casa Queimada - O acesso é feito por uma estrada de terra de 8km, a partir da portaria pedra Menina. Localizada a 2.160 metros de altitude, na nascente do rio São Domingos, tem área para acampamento, sanitários e chuveiros e lava-pratos.


Cachoeira do Aurélio - É uma queda d’água com 50 metros de altura, localizada no rio São Domingos, próxima a Macieira. É um bom ponto de parada no trajeto entre a Macieira e a Casa Queimada, ficando a 1,5 km da trilha. O local possui piscinas naturais para banhos reconfortantes.


Pico do Calçado – Localizado na divisa entre os Estados de Minas Gerais e Espírito Santo, esse pico tem 2.768 metros de altitude. É muito procurado por montanhistas.


Cachoeira da Farofa – Localizada a 4 km da pedra Menina e a 1km da Macieira, oferece várias quedas d’água e várias piscinas naturais.


Cachoeira dos Pilões – Localizada no rio São Domingos, e a cerca de 250 metros da Macieira, como esta, oferece também belas piscinas naturais.


Órgão responsável pelo parque
ICMBio - Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade
/ Ministério do Meio Ambiente
http://www.icmbio.gov.br/portal/



É bom lembrar que
O sol forte exige chapéu e protetor solar todo o tempo.


O melhor período para visitação dos parques é de abril a outubro, quando chove menos.


Leve sempre algo para comer na mochila.


Frutas, sanduíches e barras de cereais são algumas sugestões de alimentos nutritivos.


As caminhadas longas exigem hidratação constante.


Tenha sempre uma garrafa d’água na mochila.


Um calçado confortável para caminhar (tênis ou bota) é item obrigatório.


Tome cuidado com seu cigarro, apagando-o depois de fumar. Nada se deixa em um parque.


Todo o lixo deve ser coletado e disposto nos locais apropriados.

Enviar link

Região Turística
Zona da Mata
  • Cidades próximas:
  • Alto Caparaó
  • Alto Jequitibá
  • Caiana
  • Carangola
  • Espera Feliz
  • Fervedouro
  • Manhuaçu
  • Manhumirim
  • São José da Pedra Menina