Destinos

Lagoa Santa

Dr. Peter W. Lund

© Maria Lucia Dornas Lagoa Santa - Peter W. Lund - Maria Lucia Dornas Peter W. Lund

Peter Wilhelm Lund


Dr. Lund


Cronologia
Nasceu: 14 de julho de 1801
Faleceu: 25 de maio de 1880
Filiação: Henrik Lund
Natural de: Copenhague, Dinamarca.


Formação
História Natural


Atividades
Naturalista botânico, paleontólogo e cientista.


Trajetória de Vida
Devido a uma doença pulmonar, Peter Lund, seguindo recomendações médicas, chegou ao Brasil em 1826 em busca de um clima seco e quente. "Rumo ao Brasil, lá onde primeiro botou os olhos, quando pequeno e doente, perscrutava o globo terrestre e imaginava onde é que a Terra começa." (Stangerup).


Estabeleceu-se em Niterói, fez pesquisas durante três anos sobre a flora e a fauna, com atenção especial para as formigas. Em janeiro de 1829 embarca de volta à Europa, levando suas anotações. Vai à Alemanha, França e Itália. As reuniões científicas fervem na Europa; cientistas partem ou retornam dos novos continentes. As teorias da evolução do homem são ardentemente debatidas.


Em 1832, Dr. Lund decide retornar ao Brasil para prosseguimento das suas pesquisas. Havia, também, o medo de que mais um inverno rigoroso lhe abalasse novamente a saúde. "O mar mostra-se imóvel. Dr. Lund desabotoa a camisa e enxuga o suor do pescoço. Dentro de poucos dias voltará a pisar o solo de uma mata virgem. Nunca Wilhelm se sentiu tão feliz." (Stangerup).


Partindo do Rio de Janeiro, Dr. Lund e seu sócio, o botânico alemão Ludwig Riedel, começam uma longa jornada que passou por: São Paulo, São Carlos de Campinas, Vila Franca, Catalão, Paracatu, Curvelo, Lagoa Santa, Sabará e Ouro Preto. Mas, um fato acontecido em Curvelo mudou completamente o destino de Peter Wilhelm Lund. Ao ficar alguns dias em Curvelo, devido a uma doença, Dr. Lund conheceu Peter Clausen, um compatriota que morava na localidade e que o levou até à Gruta do Maquiné.


"Quando, dez dias depois, os pesquisadores prosseguem viagem, Dr. Lund sabe que precisa voltar a Curvelo. Continua suas pesquisas, abate, prepara, empalha e descreve pássaros. Mas seus pensamentos agora concentram-se nas ossadas que o dinamarquês lhe mostrou no chão salitrado do interior das grutas, que se abrem em morros de calcário, que enxameiam a região que se estende do Rio São Francisco ao Rio das Velhas. " (Stangerup).


No dia 23 de novembro de 1834, chegaram à capital da província de Minas Gerais, Ouro Preto. Era o fim da expedição. Riedel retornou ao Rio de Janeiro para escrever a conclusão de suas pesquisas. Lund estava decidido retornar à Gruta de Maquine e à região de Lagoa Santa. A partir de então, os projetos de botânica foram abandonados e suas pesquisas se concentrariam na história da evolução da terra." ...Dr. Lund ajoelha-se e agradece ao Senhor. À sua volta, também de joelhos, os trabalhadores contratados por ele em Curvelo, todos mulatos na flor da idade, fazem seguidamente o pelo-sinal, e exclamam emocionados: " Milagre! Deus è grande! Mostram segura convicção, de que ele mesmo tende a compartilhar: este templo subterrâneo só poderia servir de morada ao próprio Senhor, o Nosso Senhor. Nunca antes em sua vida Dr. Lund presenciou espetáculo mais belo, mais perfeito e acabado, nem na natureza, nem na arte. Ergue-se do chão, limpa a terra dos joelhos e avança até a grande câmara da gruta, onde parece concentrar-se toda a sua magnificência, seguido de perto pelo norueguês, vagabundo e pintor, Peter Andréas Brandt." (Stangerup).


Após deixar a região de Maquine, Dr. Lund escolheu a região de Lagoa Santa, na qual residiu até o final de sua vida. "Agora que as explorações nas grutas se encerram": é assim que Dr. Lund inicia seu Sexto Tratado. Termina-o em 22 de novembro de 1844 - mas sem uma conclusão definitiva. Limitava-se a descrever as mais recentes ossadas que achou e dirigiu-se diretamente ao Conselheiro de Estado Oersted. Escavou para mais de oitocentas grutas. O problema agora é saber o que fazer com as ossadas, "esses meus filhos", como escreve a Henrik Ferdinand, "cuja educação subseqüente" cabe-lhe prover da melhor maneira possível. Bem que gostaria de doar a coleção toda a Cristiano VIII, mas após sua subida ao trono, parece que perdeu o interesse pela história natural... Decide-se por fim em gratidão à Sociedade Real das Ciências, que nos últimos anos lhe tem mandado regularmente uma soma fixa anual, bem como pago o salário de Brandt, a doar graciosamente a coleção a seu país..." (Stangerup).


"Um dia de manhã bem cedo, decide-se a visitar pela última vez sua gruta preferida. Quer cavalgar lentamente pelos campos verde-azulados. Desses - ele sabe - para sempre sentirá falta. A manhã está belíssima. Dormindo, Brandt resmunga. Vacilante, o sol vem surgindo sobre a lagoa. Os pássaros acordam. Sejam como for, tudo será como o Criador quis que fosse. Sente-se profundamente feliz ao seguir em seu burro fiel e serviçal, com o chapéu de palha enfiado na cabeça, rumo à Lapa da Cerca Grande, na pedreira dos índios, de nome Mocambo, em meio à região mais bela de Minas Gerais." (Stangerup).


De 1844 a 1880, Dr. Lund fez poucas incursões pelos campos da região de Lagoa Santa. Quando saía a campo, seu objetivo era a botânica. O que teria levado Peter Wilhelm Lund abandonar sua pesquisas paleontológicas? Os estudiosos sobre sua vida se dividem em duas opiniões. Na primeira, uma depressão profunda o teria levado abandonar as pesquisas. Na segunda, um questionamento mais atual diz que, em um determinado momento, suas pesquisas estavam esgotadas, não haveria mais o que fazer.


Por ser protestante, não poderia ser enterrado no cemitério de Lagoa Santa. Providenciou a compra de um terreno que mandou "murar para enterrar meus amigos e a mim também". Lund determinou que queria ser sepultado à sombra de um pequizeiro, que era seu local preferido para estudar e ler. Para seu sepultamento, deixou uma "ordem" queria uma grande festa para todos os moradores do arraial, tendo à frente do cortejo a Corporação Musical de Santa Cecília - primeira banda de música de Lagoa Santa, fundada e custeada por Lund. Não queria que ninguém chorasse; queria festa, alegria, música e uma mesa farta com quitandas mineiras e vinhos de sua adega. "Durante três dias e três noites, dança-se e bebe-se, e não acontece nenhum incidente. Por toda parte em Minas Gerais ouve-se Lagoa Santa." (Stangerup).


"Darwin, que revolucionou as ciências com a evolução biológica, refere-se a Lund desse modo: (entre os mamíferos fósseis e atuais) torna-se ainda mais evidente pela admirável coleção de ossadas recolhidas nas cavernas do Brasil por Lund e Clausen.

 

Principais Obras
Observações a respeito de ossadas humanas petrificadas, encontradas em grutas do Brasil.


Mais de dez anos antes de Darwin, Lund concluía: "A fauna que habitava os planaltos do interior do Brasil era, no seu tipo fundamental, a mesma que o habita hoje." Era o desafio total às idéias de então, segundo as quais a vida do globo era a sucessão de catástrofes que renovam as espécies." (Exposição Peter Lund)



Trecho de obra
"Dirigia-se a nosso caminho para o sul, através de uma espessa floresta, cujas árvores se tornavam cada vez mais cerradas. De repente, abre-se a floresta, e vemos diante de nós um maravilhoso prado, cuja beleza ainda mais realça o pitoresco. Em frente, eleva-se uma muralha vertical de calcário, que limita o prado para os lados do sul, atravessando-o de leste para oeste. Julgava ver diante de mim as ruínas de um velho castelo de gigantes, e meus olhos perdiam-se a contemplar uma série de altas arcadas abertas na ala esquerda, como se eu lhes prestasse atenção para ali descobrir os traços de seus misteriosos habitantes".


"O elevado teto era coberto de florestas doiradas pelo sol nascente e animadas pelo vôo de inumeráveis papagaios de asas amarelas, que com seus gritos estridentes mostravam como raras vezes eram inquietados neste asilo".


"A admirável paisagem destes prados tinha atraído, havia muito, a atenção dos primeiros habitantes do Brasil. Os selvagens nômades da tribo dos caiapós, segundo penso, ali fixaram sua residência a acharam abrigo nas grutas; sob as abóbadas deste imponente rochedo. Entusiasmados pela beleza da paisagem circunvizinha, ensaiaram representar os objetos que mais lhes davam na vista. O pé do rochedo está coberto de seus desenhos, que, tão primitivos quanto a imaginação que guiou a mão de seus autores, nem por isso interessam menos ao filósofo que deseja conhecer as produções do espírito no seu mais baixo grau de desenvolvimento". (Lund, 2ª Memória Sobre as Cavernas do Brasil).


Homenagem / Título / Prêmio

Pai da Paleontologia Brasileira.

Dá nome a um distrito, uma praça e uma escola estadual em Lagoa Santa


Bibliografia
DE PAULA, S e DOS SANTOS, R. Os ossos do ofício: as importantes descobertas científicas de Peter Lund no Brasil. São Paulo: Tradição Planalto, 2005.

STANGERUP, H. Lagoa Santa: vidas e ossadas. Rio de Janeiro: Nórdica, 1982.

 

Enviar link

© Marcelo Bastos Lagoa Santa - Dr. Lund - Marcelo Bastos Dr. Lund
© Acervo/Prefeitura de Lagoa Santa Lagoa Santa - Busto Dr. Lund - Acervo/Prefeitura de Lagoa Santa Busto Dr. Lund
© Maria Lucia Dornas Lagoa Santa - Sinalização no Cemitério de Dr. Lund - Maria Lucia Dornas Sinalização no Cemitério de Dr. Lund
© Maria Lucia Dornas Lagoa Santa - Busto no Cemitério de Dr. Lund - Maria Lucia Dornas Busto no Cemitério de Dr. Lund
© Maria Lucia Dornas Lagoa Santa - Placa no Cemitério de Dr. Lund - Maria Lucia Dornas Placa no Cemitério de Dr. Lund
© Maria Lucia Dornas Lagoa Santa - Cemitério de Dr. Lund - Maria Lucia Dornas Cemitério de Dr. Lund
© Maria Lucia Dornas Lagoa Santa - Cemitério de Dr. Lund - Maria Lucia Dornas Cemitério de Dr. Lund
© Maria Lucia Dornas Lagoa Santa - Cemitério de Dr. Lund - Maria Lucia Dornas Cemitério de Dr. Lund
© Maria Lucia Dornas Lagoa Santa - Placa no Cemitério de Dr. Lund - Maria Lucia Dornas Placa no Cemitério de Dr. Lund
© Maria Lucia Dornas Lagoa Santa - Placa no Cemitério de Dr. Lund - Maria Lucia Dornas Placa no Cemitério de Dr. Lund
© Maria Lucia Dornas Lagoa Santa - Cemitério de Dr. Lund - Maria Lucia Dornas Cemitério de Dr. Lund
© Maria Lucia Dornas Lagoa Santa - Placa no Cemitério de Dr. Lund - Maria Lucia Dornas Placa no Cemitério de Dr. Lund
© Maria Lucia Dornas Lagoa Santa - Placa comemorativa - Maria Lucia Dornas Placa comemorativa
© Maria Lucia Dornas Lagoa Santa - Homenagem a Dr. Lund - Maria Lucia Dornas Homenagem a Dr. Lund
© Maria Lucia Dornas Lagoa Santa - Interior do Museu Peter Lund - Maria Lucia Dornas Interior do Museu Peter Lund