Destinos

Congonhas

Licença régia

Licença Régia, L.o 1.o PG. 6.

“Dom José, por graça de Deus, Rei de Portugal e dos Algarves, daquém e dalém mar, em África Senhor da Guiné, como governador e perpétuo administrador que sou do Mestrado da Cavalaria e Ordem de Nosso Senhor Jesus Cristo. Faço saber aos que esta minha Provisão virem que sendo, digo, que atendendo ao que me representou Feliciano Mendes, morador na Freguesia de Nossa Senhora da Conceição das Congonhas do Campo do Bispado de Mariana, sobre que, por devoção e esmolas do R. Bispo do mesmo Bispado, havia erigido uma Ermida no Alto do Maranhão da mesma Freguesia, com a invocação do Senhor de Matosinhos, a que concorriam os fiéis a venerar o Senhor na sua Imagem, fazendo-lhes continuadas milagres, e porque desejava servir nela de Ermitão e continuar as obras da mesma, para honra e glória do mesmo Senhor e consolação dos fiéis; vem pedir fôsse servido conceder-lhe Provisão de Ermitão; por encontrar nêle zêlo e capacidade necessária, o que visto a resposta que deu o Procurador Geral das Ordens. Hei por bem conceder licença para se erigir a referida Ermida no Alto chamado do Maranhão, da dita Freguesia de N. S. da Conceição das Congonhas do Campo, com a invocação do Senhor de Matosinhos, e por me pertencer a mim, in solidum, a concessão dessa licença e não ao Rev.mo Bispo, que não podia dar, sou servido que o dito Feliciano Mendes sirva de Ermitão da mesma Ermida, para tratar do asseio dela, e, com as esmolas que os fiéis cristãos lhe quiserem dar por sua devoção, continuar nas obras da mesma, com a declaração que será obrigado a dar contas, todos os anos, perante o visitador ordinário, do que despender das esmolas, ofertas que os fiéis por sua devoção lhe quiserem dar, que despenderam no culto e veneração do mesmo passado pelo escrivão da Ordem e valerá como Carta, pôsto que seu espírito na Câmara Eclesiástica do mesmo Bispado, e S. M. El-Rei nosso Senhor mandou pelos D.D. Manuel da Costa Mimoso e Francisco de Campos Limpo, deputados do despacho da Mesa da Consciência e Ordens. Constantino Pereira da Silva o fez em Lisboa, aos nove de Fevereiro de mil setecentos e cinqüenta e oito anos”. Seguem-se pagamentos de emolumentos e registros vários.

 

In. FALCÃO, Edgar de Cerqueira. A Basílica do Senhor Bom Jesus de Congonhas do Campo. Vol II, págs. 165-166

 

Enviar link