Destinos

Diamantina

Francisca da Silva Oliveira - Chica da Silva

© Maria Lucia Dornas Diamantina - Painel Chica da Silva - Marcial Ávila - Maria Lucia Dornas Painel Chica da Silva - Marcial Ávila

Chica da Silva

Francisca da Silva Oliveira


Cronologia
Nasceu: ?
Faleceu: fevereiro de 1792, Diamantina/MG
Filiação: Antônio Caetano de Sá e Maria da Costa
Natural do Distrito Diamantino/ MG


Trajetória de Vida
A mulata Chica da Silva nasceu do concubinato entre o português Antônio Caetano de Sá e a escrava baiana Maria da Costa, mas não se sabe a data do nascimento. Segundo declaração de seu filho, Simão Sardinha, quando era aspirante à obtenção do título de Cavalheiro da Ordem de Cristo em Portugal, Chica teria sido batizada em Milho Verde, local então pertencente ao Distrito Diamantino .


Quanto à alforria, provavelmente foi dada pelo Contratador João Fernandes de Oliveira, que comprou a mulata do médico português Manuel Pires Sardinha, com quem ela já tinha um filho, Simão Sardinha.


Nascido em Mariana, no ano de 1720, João Fernandes de Oliveira era filho do português João Fernandes de Oliveira e da paulista Maria de São José. Preparou-se para o futuro que o pai aspirava dentro dos planos de ascensão social da família. Em 1748 forma-se em Cânones pela Universidade Coimbra e foi Sagrado Cavalheiro da Ordem de Cristo por D João V.Retorna ao Brasil com o título de Desembargador e, em 1753, chega ao Tijuco rico e nobre para representar o pai no quarto contrato dos diamantes.


O relacionamento de João Fernandes com a mulata Chica da Silva começa logo após sua chegada, pois em 1755 nasce a primeira filha dos treze que tiveram durante os quinze anos em que viveram juntos. "A média de um filho a cada 13 meses faz desmoronar a figura sensual e lasciva, devoradora de homens à qual Chica sempre esteve ligada. João Fernandes não teve dúvida sobre a paternidade dos rebentos, legitimando-os e tornando-os herdeiros de todo seu patrimônio" (Furtada.J).


Devido à impossibilidade de legalização de um casamento entre pessoas de origens e condições desiguais a união nunca foi legalizada. E se João Fernandes, em seu retorno à Corte, encobriu seu relacionamento amoroso no Brasil foi para preservar e garantir aos filhos o ingresso na Corte Portuguesa. Chica da Silva conseguiu sua tão almeja ascensão social na sociedade Diamantinense. Ela e seus filhos pertenceram às principais irmandades do Tijuco, incluindo as duas Ordens 3ªs que eram restritas à elite. Suas filhas educadas no Educandário de Macaúbas prepararam-se para bons casamentos. Os quatro meninos, inclusive Simão, foram educados na Europa. João estudou em Coimbra e tornou-se herdeiro do pai, constituindo o Morgado do Grijó. José Agostinho ordenou-se padre. Simão concluiu seus estudos em Roma, adquiriu o hábito de Cristo e se tornou almoxarife do Reino.


Em 1770 João Fernandes de Oliveira teve que retornar à Portugal para resolver questões de disputa de herança do pai com a madrasta. Nessa data é que os filhos seguiram para a Europa.


João Fernandes, mesmo longe, não abandonou Chica e as filhas, tendo a preocupação de assegurar o futuro de todas. Uma fazenda como herança coube a cada filha e várias delas realizaram bons casamentos.


Chica era alfabetizada. Quando as filhas estudaram em Macaúbas, ela deixou vários documentos assinados. Possuía uma casa com capela particular na parte central do arraial e foi proprietária de numerosos escravos. Durante toda vida buscou sua promoção social junto à elite branca do arraial. Uma das provas de que Chica conseguiu se impor a essa sociedade foi seu sepultamento em fevereiro de 1792, na Ordem 3ª de São Francisco de Assis, onde duas de suas filhas também foram sepultadas anos mais tarde. Isso é um claro sinal de prestígio e importância dentro da sociedade mineira do século 18.


João Fernandes faleceu em Portugal, em dezembro de 1779. "A ela foi fiel até a morte, ainda que vivessem separados nos últimos anos, ela no Tijuco e ele em Lisboa". (Furtado.J.)


Filme
Tema de filme de Cacá de Diegues - 1976


Novela
Chica da Silva - 1996, Rede Manchete


Bibliografia sobre Chica da Silva

FURTADO,Junia. Chica da Silva e o contratador dos diamantes - o outro lado do mito. São Paulo:Companhia das Letras. 2003.

VASCONCELOS, Agripa de. Chica quem Manda. Belo Horizonte: Editora Itatiaia. s/d.

 

Enviar link

© Maria Lucia Dornas Diamantina - Painel da série "7 vezes Chica" Marcial Ávila - Maria Lucia Dornas Painel da série "7 vezes Chica" Marcial Ávila
© Sidnéia Diniz Diamantina - Painel da série "7x Chica" - Marcial Ávila - Sidnéia Diniz Painel da série "7x Chica" - Marcial Ávila
© Sidnéia Diniz Diamantina - Painel da série "7x Chica" - Marcial Ávila - Sidnéia Diniz Painel da série "7x Chica" - Marcial Ávila
© Sidnéia Diniz Diamantina - Painel da série "7x Chica" - Marcial Ávila - Sidnéia Diniz Painel da série "7x Chica" - Marcial Ávila
© Sidnéia Diniz Diamantina - Painel da série "7x Chica" - Marcial Ávila - Sidnéia Diniz Painel da série "7x Chica" - Marcial Ávila
© Sidnéia Diniz Diamantina - Painel da série 7x Chica" - Marcial Ávila - Sidnéia Diniz Painel da série 7x Chica" - Marcial Ávila
© Sidnéia Diniz Diamantina - Painel da série 7x Chica - Marcial Ávila - Sidnéia Diniz Painel da série 7x Chica - Marcial Ávila