Destinos

Pedra Azul

Os Grupos Políticos de Pedra Azul

                                                                                 por Eder Machado Silva

Surgiram dois grupos políticos em Pedra Azul - o liberal, formado pelos que chegaram nas décadas de 1860 e 1870 e primeira metade da década de 1880, sendo eles o coronel Franco, os Antunes, os Souzas e os Mendes de Almeida -, e os Almeidas, que chegaram em meados de 1890, formando os Órions.


A palavra órions (caçadores), vinda do termo grego órion, nomeia uma constelação de estrelas do Equador celeste e o signo zodíaco de Gêmeos, sendo que, na mitologia grega, Órion era um gigante, filho de Poseidon e Gaia.


Já o grupo dos Gorutubanos, vindo da cidade baiana de Gorutuba, tinha conotação conservadora e o nome secreto de Enopiões, conhecido apenas pela elite; era formado pelos que chegaram depois da metade da década de 1880, e durante a década de 1890, sendo os Farias, os Ruas, os Velosos e os Figueiredos. Enopião era o nome do Rei de Chios, que, numa batalha, prometeu sua filha em casamento ao gigante Órion em troca de seu apoio; porém se arrependeu e, convidando Órion para sua casa, embriagou-o e furou-lhe os olhos.


A cidade foi comandada primeiramente pelos Gorutubanos, que tinham como líder o coronel Pacífico Soares de Faria. A mudança do poder ocorre em 1918, quando os Órions organizam um exército armado de 150 homens, sob o comando de Bida Antunes, filho do coronel Colatino Antunes, e tomam o distrito de Cachoeira de Pajeú no dia da votação, vencendo as eleições.


Nos anos 30, os Órions assumiram a política local e do próprio Vale do Jequitinhonha pelo fato de João de Almeida ser compadre do governador Benedito Valadares e amigo pessoal do presidente Getúlio Dornellas Vargas. Nessa década, por intervenção da família Almeida, foi criada a comarca de Pedra Azul, em 1935, e instalada em 1938, e estabelecido um destacamento da Polícia Militar, em 1931.


A única ocasião em que os dois grupos se uniram foi quando a Coluna Prestes foi incitada a atravessar em sua marcha a cidade de Fortaleza por influência do tenente Caetano Sabóia Figueiredo. Juntos, reuniram um contingente aproximado de 300 homens armados; porém, a Coluna Prestes acabou não passando pelo município.


A cidade conseguiu eleger vários políticos, como o deputado federal Clemente Faria e o deputado estadual Antero de Lucena Ruas do lado dos Gorutubanos, e João de Almeida e outros, do lado dos Órions.


A imprensa e os grupos políticos
"O Rádio", pertencente a João da Rocha Medrado, fundado em 1905 e fechado pelo fato de os Órions e os Gorutubanos terem obrigado-o a se posicionar politicamente.


"O Norte", conservador, fundado pelos Gorutubanos em 1914.


O "Nova Era", liberal, fundado pelos Órions, por intermédio de Carlos Esperidião de Souza.


O "Patusco", redigido por Josias Moreira Souza e pelo imortal Nelson Faria do lado dos Gorutubanos, no início dos anos 1920, após o fim do "O Norte" e o "Nova Era". Com a separação de Josias Moreira Souza e de Nelson Faria, em 1924, Josias fundou o liberal "O Sertão", e Epaminondas Barbosa, do lado dos Gorutubanos, fundou o "A Fortaleza".


*
Eder Machado Silva é autor da obra Terras de Fortaleza - Gênese Política e Social do Município de Pedra Azul - MG. 2008

 

Enviar link