Destinos

Brumadinho

Informações Básicas - Brumadinho

População
33.973 (IBGE 2010)


Área
639 km²


DDD
31


Emancipação do município
17 de dezembro de 1948


Feriados municipais
1º de janeiro - Fundação da cidade
8 de dezembro - Dia de Nossa Senhora da Conceição


Padroeiro
São Sebastião


Adjetivo pátrio
Brumadinhense ou Brumadinense


Distritos
Aranha
Conceição do Itaguá
Piedade do Paraopeba
São José do Paraopeba


Municípios limítrofes
Ibirité
Sarzedo
Mário Campos
Igarapé
Itatiaiuçu
Rio Manso
Bonfim
Belo Vale
Moeda
Itabirito
Nova Lima
São Joaquim de Bicas


Mesorregião
Central


Microrregião
Belo Horizonte


Temperatura
Média anual: 20°C
Média máxima anual: 27ºC
Média mínima anual: 16º C


Estação seca
Abril a Outubro


Estação chuvosa
Novembro a Março


Relevo
Altitude da sede: 739,3 m
Altitude máxima: 1.571 m - Serra da Calcada
Altitude mínima: 700 m - Rio Paraopeba-Cachoeira de Fecho do Funil


Topografia
Plano: 5%
Ondulado: 35%
Montanhoso: 60%


Sua topografia é muito variável apresentando desde algumas áreas planas e terrenos ondulados até extensas áreas montanhosas. O relevo plano está presente apenas nas planícies aluviais do Paraopeba, que apresentam as menores altitudes do município.


Fauna e Flora
A fauna de Brumadinho é constituída de diversas espécies como: onça-parda, jaguatirica, cachorro do mato, lobo guará, raposa, macaco prego e mico estrela, tucano, lagarto tiú, ouriço caixeiro, tatu bola, rabo mole (espécie de galinha), chicote e merim, esquilo, coelho, quati, capivara, paca, ave jacu, pomba trocal, gavião pombo e carcará, martim pescador e mergulhão, cobra coral e falsa coral, cascavel, urutu cruzeiro, jararaca, entre outras.


A flora é composta principalmente por Canelas de Ema, várias espécies de orquídeas, sempre vivas e samambaias (Samambaiaçu e de Barranco).


Vegetação
Na cobertura vegetal característica do município predominam os campos de montanha, os campos sujos e o cerrado, ocorrendo vestígios de matas nas encostas, topos das serras e matas de galerias junto às nascentes e cursos de água (mata ciliar). A vegetação configura-se como mata de transição, formada por árvores de tamanhos e espécies diferentes; em geral, troncos finos, poucas folhas e porte médio.


A reserva natural da Serra do Rola Moça, onde está o Parque Estadual do mesmo nome, tem uma vegetação diversificada que proporciona ao local um colorido especial e um relevo peculiar, sendo encontradas espécies como orquídeas, bromélias, candeias, jacarandá, cedro, jequitibá, arnica e a canela-de-ema, que se tornou o símbolo do Parque. O Parque está situado numa zona de transição de Cerrado para Mata Atlântica, rico em campos ferruginosos e de altitude. Recentemente descrito pela geologia, o Campo Ferruginoso é muito raro, sendo encontrado apenas em Minas Gerais, no quadrilátero ferrífero, e em Carajás, no Estado do Pará.


Hidrografia
rio Veloso Manso
rio Paraopeba


Brumadinho é banhado pelos rios Veloso, Águas Claras, Manso e Paraopeba, todos integrantes da bacia do rio São Francisco. O rio Paraopeba, o mais caudaloso entre eles, atravessa o município em toda sua extensão longitudinal.


Pelo fato do município apresentar expressivos recursos hídricos, ser muito extenso e apresentar um relevo montanhoso, nele foram implantados os sistemas de reservação e distribuição de água potável de rio Manso e Catarina, operados pela Copasa, que garantem o abastecimento de cerca de um quarto da demanda de água da Região Metropolitana de Belo Horizonte.


O Parque da Serra do Rola Moça abriga seis importantes mananciais de água - Taboões, Rola moça, Bálsamo, Barreiro, Mutuca e Catarina - declarados pelo Governo Estadual como Áreas de Proteção Especial, que garantem a qualidade dos recursos hídricos que abastecem parte da população da região metropolitana. Para assegurar a proteção destes mananciais, esta área do Parque não está aberta à visitação pública.


Brumadinho possui, ainda, grandes aquíferos de águas minerais de alta qualidade, engarrafadas pela empresa Hidrobrás, que as comercializa sob as marcas Ingá e Suiá.


Essas águas são classificadas nas análises laboratoriais como oligominerais (diversificada composição de sais minerais em baixa concentração), condição que as identifica como mais leves, nutritivas e saudáveis. O rico manancial possibilita uma vazão de mais de um milhão de litros por dia.


Bacia
Bacia Rio São Francisco


Referências Geográficas
Brumadinho situa-se na Macrorregião Central de Planejamento e na Região Cultural da Mineração. Possui uma das maiores extensões geográficas da região Metropolitana de Belo Horizonte, abrangendo 640,08 km².


Com uma população total da ordem de 32.000 residentes, Brumadinho está inserido no Circuito Turístico Veredas do Paraopeba. Apresenta temperatura média anual variando entre 16,7 Cº a 21,1 Cº. O período seco predomina no mês de julho e o chuvoso no mês de Janeiro.


Referências Econômicas
O município de Brumadinho está situado no Quadrilátero Ferrífero, na Região Central de Minas, unidade caracterizada pela ocorrência de grandes reservas de minério de ferro. Em conseqüência, a atividade mineradora é o grande destaque da economia municipal, ocupando a 8ª posição neste setor, no contexto da economia estadual.


Das empresas que possuem lavras e minas em seu território, destacam-se a Vale (Córrego do Feijão), Vallourec & Mannesmann Mineração, Dona Marta (Tejuco) e Ferrous Resources do Brasil.


A agropecuária municipal é praticada em pequenas e médias propriedades, com predominância de mão-de-obra familiar que se dedica principalmente à pecuária leiteira, fruticultura, olericultura e a produção de cachaça artesanal.


A pecuária de Brumadinho é predominantemente leiteira, existindo também a pecuária mista e de corte.


Quanto à fruticultura, destaca-se a produção de mexerica ponkan, que continua sendo expressiva no município e no Estado.


A olericultura tem aumentado significativamente sua participação no setor, em quantidade, qualidade e, principalmente, em diversidade, isso devido aos abundantes recursos hídricos e à proximidade e facilidade de acesso aos mercados consumidores (Ceasa, por exemplo) da Região Metropolitana de Belo Horizonte.


A produção de cachaça artesanal é bastante significativa, com uma produção anual aproximada de 553 mil litros. Brumadinho é recordista mundial em Cachaça Artesanal com o selo da AMPAC. Possui marcas famosas como Brumado Velho, Saideira e Boa Vitória, além de ser pioneiro no lançamento da cachaça feminina Domina, da empresa Segredo do Patriarca.


Outra riqueza do município que se reflete nas atividades econômicas em destaque são as fontes de água mineral. Em Brumadinho está instalada a empresa Hidrobras - Águas Minerais do Brasil Ltda., que comercializa águas minerais sob as marcas Ingá e Suiá.


Entre as grandes empresas instaladas no município merecem ser citadas:


- Extração de minerais metálicos: Vale, Ferteco Mineração S/A., Vallourec & Mannesmann Mineração Ltda., Minerminas Mineradora Minas Gerais Ltda., CBM Consórcio Brasileiro de Minerações Ltda., Extrativa Paraopeba Ltda., Ferrous Resources do Brasil Ltda.
- Fabricação de produtos alimentícios e bebidas: Hidrobras Águas Minerais do Brasil Ltda., Paladar Indústria e Comércio Ltda., Paulo Bernardes de Souza, Vale do Paraopeba Indústria e Beneficiamento de Cana Ltda., Qualisul.
- Fabricação de produtos têxteis: Malhas Treville Ltda.
- Confecção de artigos do vestuário e acessórios: Maroto Indústria e Comércio Ltda., Arcos de Bruma Ltda., Bethlinha Indústria e Comércio Ltda.
- Fabricação de produtos químicos: Orica Brasil Ltda.
- Metalurgia básica: Prosider Mecânica Ltda.


Brumadinho possui também uma diversificada estrutura na produção de bens e serviços. Um dos inequívocos pilares de seu desenvolvimento é a sua vocação natural para a implantação de condomínios horizontais, em franco desenvolvimento, principalmente no último decênio (iniciada a partir dos anos 1970).


Entre outros fatores, esta vocação se deve à sua localização privilegiada em relação à capital, pelos seus mananciais aqüíferos ainda conservados puros, pelas belezas paisagísticas das encostas de suas serras, pela vegetação nativa preservada, pelo clima muito agradável (convidativo e de muitas brumas) e pela cordialidade de seu povo.


A ocupação já existente feita pelos condomínios soma 6.226 unidades de lotes aprovados, sendo que, na maioria deles, também já se encontram edificadas unidades residenciais. São os seguintes os condomínios aprovados: Aldeia da Cachoeira das Pedras, Águas Claras, Estância da Cachoeira - (Clube Moranguinho), Mãe Terra, Quintas de Casa Branca, Retiro das Pedras (primeiro de Minas - 1972), Retiro do Chalé, Recanto do Vale II, Recanto da Serra I, Recanto da Serra II (Jardins), Recanto da Serra III, todos próximos ao Alphaville e a Lagoa dos Ingleses. Além desses condomínios, ainda se encontram em processo de aprovação os seguintes: Quintas do Rio Manso, Quintas de Águas Claras e Quintas do Paraopeba.


Outra vocação inconteste do município, e que merece tratamento à parte, reside em sua potencialidade para desenvolver vários segmentos do turismo.


A região possui deslumbrante beleza natural, destacando-se sítios paisagísticos marcantes como o maciço rochoso conhecido como Pedreira de Casa Branca ou Serra Ouro Fino, a Serra do Rola Moça, a Serra da Calçada, Serra dos Três Irmãos, Serra da Jangada, a Serra da Moeda, dentre outros. Além disso, a altitude elevada, as ocorrências topográficas especiais, o clima frio, os grandes mananciais aquíferos, a vegetação preservada e a proximidade de Belo Horizonte, entre outros fatores, têm estimulado a exploração turística no município, atividade muito promissora para o desenvolvimento da economia municipal.


Já são muito expressivos os fluxos turísticos que se dirigem às localidades mais próximas das encostas da Serra do Rola Moça e da Moeda, com acesso pela BR-040, principalmente nos finais de semana. Os visitantes para lá se dirigem para praticar o Turismo de Aventura, Ecoturismo, Turismo Rural, entre outros). Outro segmento promissor é o do Turismo Cultural, representado pela oferta gastronômica, eventos e festas, que também tem sido motivo de deslocamentos para o município.


A geografia e o clima da região de Casa Branca são muito convidativos e já atraem investidores do segmento de pousadas e restaurantes, alguns com uma gastronomia já mais apurada. Aliás, só o visual que se tem no acesso à localidade pelo Parque Estadual da Serra do Rola Moça já vale uma visita a Casa Branca e região. O próprio Parque, bem próximo de Casa Branca, abrange áreas de Belo Horizonte, Nova lima e Ibirité, e tem sua sede e uma bonita parte situada dentro do município de Brumadinho. A paisagem, a vegetação e o gosto pela aventura também são bons motivos para visitas guiadas à Cachoeira de Casa Branca.


Outro destaque nesta mesma região do município fica para um ponto bem alto na Serra da Moeda, onde estão o Restaurante Topo do Mundo e a Rampa de Voo Livre. O visual que se tem do restaurante, aliado ao colorido das exibições dos praticantes de voo livre e balonismo, encanta quem visita o local.


Mas foi a criação do Inhotim Instituto Cultural, no outro lado do município com acesso pela BR 381, que marcou o ingresso de Brumadinho na lista dos municípios de grande interesse turístico em Minas Gerais. O Inhotim é atualmente o maior museu do mundo no gênero, com seus exuberantes jardins tropicais e os destacados pavilhões de arte contemporânea. O Inhotim tem atraído aproximadamente 10.000 visitantes por mês.


Dentre os povoados rurais, merecem atenção os que se sobressaem no contexto histórico e religioso, como é o caso de Conceição de Itaguá (antigo Brumado do Paraopeba), São José do Paraopeba e Piedade do Paraopeba. Este último, também ao pé da Serra da Moeda, já se consagrou como um centro de romaria, devido à fé dos inúmeros devotos a Nossa Senhora da Piedade que ali vão para agradecer, cumprir promessas e pedir graças. O lugar é muito visitado no dia 08 de setembro, quando celebra o Jubileu de Nossa Senhora da Piedade.

Enviar link