Destinos

Tiradentes

Frei Veloso

Frei José Mariano da Conceição Veloso


José Veloso Xavier – nome de batismo


Cronologia
Nasceu: 1741 ou 1742
Faleceu: 1811 – Rio de Janeiro
Natural da Vila de São José del-Rei (Tiradentes)


Formação
Filosofia e Teologia


Atividades
Frade franciscano
Naturalista


Trajetória de vida
Com a idade de 19 anos entrou para o convento franciscano de São Boaventura de Macucu. Depois, transferiu-se para Rio de Janeiro e ingressou-se no Convento de Santo Antônio. Estudou Filosofia e Teologia. Lecionou Geometria no Convento de São Paulo e História Natural no Rio de Janeiro. Devido ao seu grande interesse pelas ciências naturais, tornou-se um naturalista. Nessa época, havia um horto botânico no Rio e os vice-reis, Marquês do Lavradio e D.Luís de  Vasconcelos, apoiavam  a pequena comunidade científica. Viajou de 1770 a 1790 para fazer um levantamento dos recursos naturais da Capitania do Rio de Janeiro, a pedido de  D. Luís de Vasconcelos. As espécies coletadas foram levadas para Lisboa e guardadas no Museu de História Natural da Ajuda.


Após um convite, estabeleceu-se no Reino. Fez estudos para modernizar a produção agrícola, pois sua intenção era aperfeiçoar o cultivo da cana-de-açúcar. De 1798 a 1806, dedica-se a artigos e memórias científicas. A partir de 1799, passa a ser Diretor da Tipografia Calcográfica, Tipoplástica e Literária do Arco do Cego, a Imprensa Régia em Lisboa. Apoiava as publicações de caráter naturalista e era “dedicado à causa da modernização das técnicas agrárias e à divulgação de temas ligados a desenho, pintura, medicina e farmacologia.” ( Dicionário do Brasil Colonial). Em 1808, voltou para o Brasil com a Corte de D.Maria I. Frei Veloso era primo do Alferes Joaquim José da Silva Xavier.


Principais Obras

- Florae Fluminensis - obra póstuma publicada entre 1825 e 1827, que reúne a descrição de mil e setecentas espécies.

- O Fazendeiro do Brasil

Enviar link