Destinos

Congonhas

Joel

© Sérgio Freitas Congonhas - Profeta Joel - Sérgio Freitas Profeta Joel

O segundo dos profetas menores do cânon bíblico, ocupa seu lugar no Adro à direita de Oséias, na quina de encontro do parapeito de entrada e da parede interna lateral.


O Profeta, um dos mais antigos de que se conservaram escritos, viveu no Século 8 a.C. Seu nome significa 'Iavé é Deus' e seu livro de profecias, de apenas três capítulos, focaliza sobretudo o fim dos tempos e o Juizo, tendo, portanto, caráter essencialmente apocalíptico.


O primeiro capítulo se abre, inclusive, com a descrição de uma sucessão de terríveis pragas que devastarão a Terra nos dias antecedentes ao Juízo Final.


A enumeração dessas pragas faz parte da inscrição do filactério que Joel segura na mão esquerda: 'Exponho à Judéia que mal hão de trazer à Terra, a lagarta, o gafanhoto, o brugo e a alforra (ferrugem). Joel, capítulo 1, versículo 4'.


A fisionomia da escultura, assim como a de Jeremias, Ezequiel e Oséias, é de um personagem viril, de barba e bigodes em rolos à moda bizantina.


A roupagem é semelhante a da imagem de Oséias, sendo a gola substituída por um colarinho alto. Joel traz à cabeça o mesmo modelo de turbante com abas retorcidas, já utilizado em Jeremias e Baruc.


A estátua praticamente não revela imperfeições anatômicas e é composta por dois blocos de pedras, ligados na altura do ombro.


E o resultado é excelente. A estátua de Joel é uma das mais vigorosas de todo o conjunto do Santuário do Senhor Bom Jesus de Congonhas. Sua extraordinária força expressiva não deixa dúvidas, revelando a participação direta de Aleijadinho na maior parte de seu projeto e execução.


In: Cidade dos Profetas, Sexta edição, dezembro de 2001.   

© Divanildo Marques Congonhas - Profeta Joel - Divanildo Marques Profeta Joel