Destinos

Congonhas

Passo da Crucificação

O Passo da Crucificação e da Subida ao Calvário apresentam características arquitetônicas semelhantes, variando tão somente o formato da cartela de inscrição, sendo esta última curiosa síntese das três primeiras. Copia ao mesmo tempo o formato sinuoso da cartela da Prisão, o tipo de letras da Ceia e os motivos florais do Horto. Na inscrição do nome do evangelista está escrito novamente em português, assinado o texto em latim que tem a seguinte tradução: 'Ao lugar chamado Calvário onde o crucificaram, e com ele, outros dois, um de cada lado' (S. João Cap.19, v. 17 e 18).


As onze imagens que forma o grupo da Crucificação, ao contrário do que e verifica nos outros Passos, não se acham subordinadas a um único foco de interesse. A composição é dividida em três partes distintas. A zona central onde se passa a ação principal é ocupada pela figura de Cristo, de dois carrascos que o pregam na cruz, estendida na posição horizontal e de Madalena, que de joelhos, lança seu olhar para o alto em desesperada súplica.


'Repartiram minhas vestes entre si e sobre minha túnica lançaram sortes'. Este texto profético de São João serviu de tema para a segunda cena do grupo da Crucificação. À esquerda de Cristo, dois soldados disputam num jogo de dados a túnica do condenado. E como terceiro foco de atenção, aparece ao lado direito de Cristo, Gestas, o mau ladrão e o bom ladrão, esperando com as mãos atadas, o momento de serem também crucificados.


Como imagens secundárias, dispostos ao longo da parede do fundo da capela, três outras figuras de soldados assistem à crucificação de Cristo, com fisionomia impassível. Um desses soldados se destaca dos demais pela sua vestimenta. Trata-se, sem dúvida, do Centurião mencionado pelos três evangelhos sinópticos, e suas vestes inclui um longo manto de púrpura jogado às costas. No lugar do capacete habitual dos soldados, este soldado apresenta-se com um turbante à moda oriental análogo ao de dois Profetas do Adro da Basílica do Bom Jesus.


As fotografias anteriores à restauração de 1957 mostram o interior da Capela da Crucificação sob um ângulo completamente diferente do de hoje. Antes a cruz estava disposta em diagonal à parede do fundo da capela e , atualmente, a disposição de todas as imagens é organizada em torno da cruz, colocada transversalmente. É preciso frisar que as capelas foram construídas muitos anos após a execução das imagens, e não há nada que prove que o arranjo feito na época em que foi terminada a capela, corresponda ao projeto original de Aleijadinho.


Na capela da Crucificação, atribui-se ao mestre as imagens de Cristo e do Mau Ladrão e ainda sua intervenção na escultura do Centurião, cuja fisionomia e turbante podem ser comparadas aos dos profetas Baruc e Abdias, esculpidos depois por Aleijadinho. Também se percebe a intervenção de Aleijadinho nas esculturas do Bom Ladrão e Maria Madalena. Concebida para ser vista de perfil, é magnificamente acabada do outro lado, apresentando, inclusive, erros de proporção, notando-se ainda o curioso detalhe do pé descalço do outro lado.


A policromia do conjunto da capela da Crucificação, pode ser, através de análises estilísticas, relacionada com a do grupo da Subida ao Calvário. Os saiotes obedecem à mesma gama de amarelo-alaranjado-vermelho e as couraças são pintadas também no mesmo tom de cinza claro da capela anterior. O verde entremeado de amarelo volta a aparecer, colorindo agora a blusa de Maria Madalena e uma fita em seus cabelos.


In: Cidade dos Profetas, Sexta edição, dezembro de 2001.

© Maria Lucia Dornas Congonhas - Capela da Crucificação - Maria Lucia Dornas Capela da Crucificação
© Maria Lucia Dornas Congonhas - Mau ladrão - Capela da Crucificação - Maria Lucia Dornas Mau ladrão - Capela da Crucificação
© Maria Lucia Dornas Congonhas - Soldado - Capela da crucificação - Maria Lucia Dornas Soldado - Capela da crucificação
© Maria Lucia Dornas Congonhas - Soldado - Capela da crucificação - Maria Lucia Dornas Soldado - Capela da crucificação
© Divanildo Marques Congonhas - Passo da Crucificação  - Divanildo Marques Passo da Crucificação