Destinos

Belo Horizonte

Senac
  • Logo Senac Minas
  • Hotel Grogotó
  •  
  • unidade

Centro de Arte Popular – CEMIG

© Divulgação/Renato Cobucci Belo Horizonte - Centro de Arte Popular - Cemig - Divulgação/Renato Cobucci Centro de Arte Popular - Cemig

O Centro de Arte Popular - CEMIG está instalado em um prédio histórico, construído em 1928 pelo arquiteto Luiz Signorelli, em estilo eclético e para uso residencial. Mais tarde, funcionou no edifício o Hospital São Tarcísio.


O Centro tem como objetivo a valorização da diversidade cultural de Minas Gerais por meio da exposição dos trabalhos de inúmeros artistas. O espaço foi projetado pela arquiteta Janete Ferreira, falecida em 2008, em parceria com o escritório Borsoi Arquitetura Ltda. Sua estrutura está dividida em quatro pavimentos, que possuem:


Ateliês para oficinas
Sala de exposições temporárias
Auditório multiuso
Café
Loja
Centro de informação com biblioteca
Videoteca e computadores para consulta
Quatro salas de exposições de longa duração.


O acervo
Grande parte das peças que compõem o acervo do Centro de Arte Popular - CEMIG é de propriedade do Estado. Há também peças de colecionadores privados e de outras instituições, cedidas por comodato. Ao todo, o acervo do museu conta com 800 obras. A gestão do espaço é de responsabilidade da Superintendência de Museus e Artes Visuais, vinculada à Secretaria de Estado de Cultura.


Exposição de longa duração
A exposição inaugural de longa duração apresentará ao público cerca de 360 peças que retratam as diferentes expressões de arte criadas pelo homem, ao longo do tempo, em todo o Estado de Minas Gerais. Isso inclui desde as manifestações dos primeiros habitantes da região, com as pinturas rupestres, até os grafismos urbanos contemporâneos.


Para demonstrar a diversidade da produção de arte popular do Estado, a mostra traz obras de várias regiões de Minas Gerais, como:
Vale do Jequitinhonha
Araxá
São João del-Rei
Ouro Preto
Belo Horizonte
Cachoeira do Brumado
Divinópolis
Prados
Sabará


Há fotos, vídeos, esculturas em madeira, cerâmica, instalações, peças de festas religiosas, ex-votos pintados, oratórios, santos e pinturas populares de artistas como Noemisa, GTO, Artur Pereira, Maria Lira Marques, Dona Isabel, Dirléia Neves Peixoto, Ulisses Pereira, Lorenzato e Dona Tonica, além de outros anônimos.


Horário de funcionamento:
Às terças, quartas e sextas-feiras, das 10 às 19 horas.

Às quintas-feiras, de 12 às 21 horas.

Aos sábados e domingos, de 12 às 19 horas.


Entrada gratuita


Localização:
rua Gonçalves Dias, 1608.


Contato:
31 3222-3231


Exposição inaugural e mostra temporária
Além da exposição de longa duração, na abertura do Centro de Arte Popular - Cemig será inaugurada uma mostra temporária, que apresentará uma coleção inédita de oratórios, santos e ex-votos dos séculos 18 e 19, exposta pela primeira vez ao público. Entre as 45 obras que compõem o conjunto, há uma raridade, isto é, um oratório de origem africana, do século 18, produzido por escravos e com peças feitas pelo mestre Borboleta.



Fontes: Informativo Praça da Liberdade - Circuito Cultural Arte e Conhecimento - Agência Minas     

 

© Maria Lucia Dornas Belo Horizonte - Centro de Arte Popular - CEMIG - Maria Lucia Dornas Centro de Arte Popular - CEMIG
© Maria Lucia Dornas Belo Horizonte - Centro de Arte Popular - CEMIG - Maria Lucia Dornas Centro de Arte Popular - CEMIG
© Maria Lucia Dornas Belo Horizonte - Centro de Arte Popular - CEMIG - Maria Lucia Dornas Centro de Arte Popular - CEMIG
© Maria Lucia Dornas Belo Horizonte - Centro de Arte Popular - CEMIG - Maria Lucia Dornas Centro de Arte Popular - CEMIG
© Divulgação/Renato Cobucci Belo Horizonte - Centro de Arte Popular - Cemig - Divulgação/Renato Cobucci Centro de Arte Popular - Cemig
© Divulgação/Renato Cobucci Belo Horizonte - Centro de Arte Popular - Cemig - Divulgação/Renato Cobucci Centro de Arte Popular - Cemig
© Divulgação/Renato Cobucci Belo Horizonte - Centro de Arte Popular - Cemig - Divulgação/Renato Cobucci Centro de Arte Popular - Cemig