Destinos

Mariana

Acervo Arquitetônico

  • Mariana - Igreja de São Pedro dos Clérigos - Sérgio Freitas
  • Mariana - Casa da Câmara - Sérgio Freitas
  • Mariana - Museu Arte Sacra - Sérgio Freitas
  • Mariana - Igreja de São Francisco de Assis - Sérgio Freitas
  • Mariana - Casa da Cultura - Sérgio Freitas
  • Mariana - Igreja de Santana - Sérgio Freitas
  • Mariana - Catedral da Sé - Sérgio Freitas
  • Mariana - Rua Direita - Sérgio Freitas

Mariana possui um admirável acervo arquitetônico. Sobrados, igrejas e capelas foram preservados e revelam o glorioso passado da antiga capital de Minas Gerais.


A cidade tem uma particularidade: seu centro urbano foi planejado, fato raro para as povoações da América Portuguesa. Quando a Vila do Ribeirão do Carmo foi escolhida para abrigar a sede do bispado na Capitania das Minas e elevada à cidade, a Coroa Portuguesa enviou o arquiteto Brigadeiro José Fernandes Pinto de Alpoim para executar o planejamento.


“... se lhe ordena que façam logo planta da nova povoação, elegendo sítio para praça espaçosa, e demarcando as ruas que fiquem à direita e com bastante largura sem atenção a conveniências particulares, ou edifícios que contra esta ordem se achem feitos no referido sítio dos pastos, porque se deve antepor a formosura das ruas; e cardeadas estas, se demarquem sítios em que edifiquem os edifícios públicos, e depois se aforem as braças de terra, que os moradores pedirem, preferindo quase os que já tiverem aforado no caso em que seja necessário demolir-se parte de algum edifício para se observar a boa ordem que fica estabelecida na situação de cidade... ficando entendendo eles oficiais da câmara e seus sucessores que em nenhum tempo poderão dar licença para se tomar parte da praça, e que todos os edifícios se hão de fazer à face das ruas, cardeadas em linha reta.”


A Rua Direita foi estendida até a Ponte de Areia. A construção das residências que foram surgindo ao longo desta rua teve também a orientação de Alpoim. A praça Gomes Freire, que já se chamou Largo da Cavalhada e Largo do Rocio, também foi traçada de acordo com o planejamento urbano.


Na Rua Direita o visitante deve fazer uma lenta caminhada para poder apreciar os belos exemplares da construção civil colonial. O destaque é Casa do Barão de Pontal, única residência de Minas Gerais que teve suas sacadas trabalhadas em xisto, formando um belíssimo trabalho que se assemelha a um rendilhado. Tradicionalmente se diz que o material da sacada é pedra sabão, mas, na realidade, é xisto.


Existem casas com janelas de treliças e oratórios na fachada que dão um toque pitoresco ao conjunto arquitetônico.


As principais construções de Mariana são: 

Câmara Municipal, antiga Casa de Câmara e Cadeia;

Museu Arquidiocesano, antiga Casa Capitular;

Seminário Menor Nossa Senhora da Boa Morte;

Palácio de Assumar;

Catedral da Sé;

Igreja de São Francisco de Assis;

Igreja de Nossa Senhora do Carmo;

Capela de Santana;

Igreja de São Pedro dos Clérigos;

Igreja de Nossa Senhora do Rosário; e

Igreja de Nossa Senhora das Mercês.

Enviar link