Destinos

Pirapora

Vapor Benjamim Guimarães

  • Pirapora - Navio a Vapor Benjamim Guimarães - Divanildo Marques
  • Pirapora - Navio a Vapor Benjamim Guimarães - Divanildo Marques
  • Pirapora - Sino do Navio a Vapor Benjamim Guimarães - Divanildo Marques
  • Pirapora - Barco a Vapor Benjamim Guimarães - Divanildo Marques
  • Pirapora - Placa Comemorativa - Divanildo Marques
  • Pirapora - Placa Comemorativa - Divanildo Marques
  • Pirapora - Fotos Antigas do Navio a Vapor Benjamim Guimarães - Divanildo Marques
  • Pirapora - Navio a Vapor Benjamim Guimarães - Divanildo Marques
  • Pirapora - Navio a Vapor Benjamim Guimarães - Divanildo Marques
  • Pirapora - Navio a Vapor Benjamim Guimarães - Divanildo Marques

Construído em 1913, o Vapor Benjamim Guimarães navegou no rio Mississipi (EUA) e, posteriormente, em rios da Bacia Amazônica. Na segunda metade da década de 1920, a firma Júlio Guimarães adquiriu a embarcação e a montou no porto de Pirapora, recebendo o nome de "Benjamim Guimarães", em homenagem ao patriarca da família proprietária da firma. A partir de então, o vapor passou a realizar contínuas viagens ao longo do rio São Francisco.


Por várias décadas, o Benjamim Guimarães foi utilizado no transporte de cargas e passageiros no trecho Pirapora - Juazeiro, no Norte da Bahia. Durante a Segunda Guerra Mundial, serviu de transporte para as tropas do Exército Brasileiro que se dirigiam ao litoral de Pernambuco e do Rio Grande do Norte para o patrulhamento da costa, de onde embarcariam para a Itália, na Força Expedicionária Brasileira.


No início dos anos 80, com a decadência da navegação no São Francisco, o vapor passou a ser utilizado em passeios turísticos, e as viagens tornaram-se cada vez menos frequentes. Em 1º de agosto de 1985, dado seu valor histórico-cultural, o Benjamim Guimarães é tombado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico (IEPHA). No mesmo ano, já bastante deteriorado pela ação do tempo, recebe sua primeira reforma.


Em 29 de janeiro de 1997, o Benjamim é incorporado ao Patrimônio Histórico do Município de Pirapora, através de Termo de Transferência firmado entre a Companhia de Navegação do São Francisco (Franave) e a Prefeitura. Atracado no porto da Franave por quase 10 anos, o vapor Benjamim Guimarães voltou a navegar nas águas do "Velho Chico", no dia 11 de agosto de 2004, após passar por uma segunda reforma e restauração.


O Benjamim Guimarães possui três pisos: no primeiro, encontra-se a casa de máquinas, caldeira, banheiros e uma área para abrigar passageiros. No segundo, estão instalados 14 camarotes, e no terceiro, um bar e área coberta. O Benjamim Guimarães é o último exemplar movido a lenha existente no mundo. Tem capacidade para 140 pessoas, entre tripulantes e passageiros e consome 1 m³ de lenha por hora.


Atualmente (dez 16) o Benjamim Guimarães está em processo de restauração.


Fonte: Prefeitura Municipal de Pirapora 

Enviar link