Destinos

Diamantina

Igreja Nossa Senhora do Rosário

  • Diamantina - Chafariz e Igreja N.S.do Rosário - Maria Lucia Dornas
  • Diamantina - Cristo - Igreja N.S. do Rosário - Maria Lucia Dornas
  • Diamantina - Altar-mor Igreja N.S. do Rosário - Maria Lucia Dornas
  • Diamantina - Detalhe Altar-mor - Igreja N.S. do Rosário - Maria Lucia Dornas
  • Diamantina - Forro Capela-mor Igreja N.S. do Rosário - Maria Lucia Dornas
  • Diamantina - Detalhe Altar-mor Igreja N.S. do Rosário - Maria Lucia Dornas
  • Diamantina - Frontão Igreja N.S. do Rosário - Maria Lucia Dornas
  • Diamantina - Nave e Capela-mor - Igreja N.S. do Rosário - Maria Lucia Dornas
  • Diamantina - São Elesbão - Igreja N.S. do Rosário - Maria Lucia Dornas
  • Diamantina - São Benedito - Igreja N.S. do Rosário - Maria Lucia Dornas
  • Diamantina - Igreja Nossa Senhora do Rosário - Diego Gazola
  • Diamantina - Igreja Nossa Senhora do Rosário - Diego Gazola

Histórico 
Edificada em 1731, pela Irmandade de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos  é um dos templos mais antigos de Diamantina.


Em 1771, a Irmandade resolve fazer obras, o que acabou por alterar completamente a  edificação. Interessantes  as condições obrigatórias  que foram estabelecidas pela irmandade para as novas obras: ''3ª condição  - será obrigado a fazer as portas novas de Almofadas a Saber a principal de Almofadas levantadas do feitio da do Carmo a de S. Francisco  e se puder  desemcomtrar  dos dois feitios que fique milhor o fará das duas portas tranilas do feitio das trancas do Carmo''. (Barroco 16). Nas  condições, pediam  obras similares a Igreja do Carmo e a de São Francisco de Assis.


Arquitetura e decoração
 
Possui a clássica divisão das  igrejas mineiras: coro, nave, capela-mor  e  sacristias laterais. Conta também com a peculiar  torre única diamantinense.


Como  em todas as igrejas  da cidade, a grande atração é a  capela-mor, com ''...ambientação unitária formada pelo conjunto do retábulo, pintura do forro e arco-cruzeiro. Essa unidade é, sem dúvida obra do guarda-mor José Soares de Araújo, autor simultâneo da pintura e douramento do retábulo e pintura do forro'' (Barroco16).


Admirável é o altar-mor com douramentos, tons de branco-pérola, colunas marmorizadas, os desenhos  aplicados  em ouro, tão típicos de Diamantina, dossel  e nichos  que guardam São Domingos e São Elesbão.


A admirável pintura de José Soares de Araújo no forro da capela-mor, com o marcante colorido penumbrista, mostrando Nossa Senhora do Rosário  circundada por anjos, é  uma das melhores obras da pintura mineira do setecentos.


Na singeleza dos altares laterais,  duas excelentes  obras de imaginária: os santos homens negros - São Benedito e São Antônio de Catagerona. Ainda vale a pena  prestar atenção  nas imagens de Sant'Ana Mestra e Nossa Senhora do Rosário no altar-mor, e uma  Nossa Senhora da Piedade que se encontra na sacristia.



A  Igreja de Nossa Senhora do Rosário é tombada pelo IPHAN
Registrada no livro de Belas Artes
Inscrição: 334   Data: 6 de dezembro de 1949.


Horário de funcionamento
terça a sábado de 9h às 12h / 14h às 18h
domingos e feriados de 9h às 12


 

Enviar link