Destinos

Ouro Preto

Distrito de São Bartolomeu

Dos quintais das casas do Distrito de São Bartolomeu vem cheiro gostoso de doce no tacho - goiabada e marmelada da boa -, que só as doceiras de São Bartolomeu sabem o segredo para tanta gostosura. Esses doces fazem a fama desse distrito, que já foi um centro comercial e que hoje conserva sua atmosfera e o valioso acervo de um povoado do século 18.


Muita paz, muita tranqüilidade, essas são as duas grandes características desse bucólico distrito cortado pelo Rio das Velhas, que teve sua origem no final do século 17, por ser passagem de muitas bandeiras. No episódio da grande fome no ano de 1701, se tornou refúgio para os habitantes dos arraiais da localidade.


A primeira edificação religiosa foi a Capela de Nossa Senhora do Rosário. Quando mais tarde ergueram a Matriz com o orago a São Bartolomeu, a primitiva Capela do Rosário foi demolida, mas foram aproveitados o altar-mor e os altares laterais. Uma curiosidade é que o sino da igreja é feito em madeira para compor a torre.


Dizem que igual a este só na França. Não se tem nenhum tipo de documentação sobre sua construção. Sabe-se que está entre um dos templos mais antigos de Minas Gerais. Na segunda metade do século 19, passou por várias reformas, mas não chegaram a desfigurá-la. 


As Festas de São Bartolomeu e do Divino Espírito Santo, em agosto, são os grandes eventos da localidade.


A Matriz de São Bartolomeu é tombada pelo IPHAN
Registrada no livro de Belas Artes
Inscrição: 453   Data: 4 de março de 1960.

Enviar link