Destinos

Pedra Azul

Apresentação

  • Pedra Azul - Pedra Cabeça Torta - Wagner
  • Pedra Azul - Centro Histórico - Igor Dias Rocha
  • Pedra Azul - Casa do Centro Histórico - Igor Dias Rocha
  • Pedra Azul - Centro Histórico - Igor Dias Rocha
  • Pedra Azul - Centro Histórico - Igor Dias Rocha
  • Pedra Azul - Centro Histórico - Igor Dias Rocha
  • Pedra Azul - Casas do Centro Histórico - Igor Dias Rocha
  • Pedra Azul - Casa do Centro Histórico - Igor Dias Rocha
  • Pedra Azul - Centro Histórico - Igor Dias Rocha
  • Pedra Azul - Casas do Centro Histórico - Igor Dias Rocha
  • Pedra Azul - Casa do Centro Histórico - Igor Dias Rocha
  • Pedra Azul - Igrejinha do Santuário - Igor Dias Rocha
  • Pedra Azul - Casa do Centro Histórico - Igor Dias Rocha
  • Pedra Azul - Casa do Centro Histórico - Igor Dias Rocha
  • Pedra Azul - Centro Histórico - Igor Dias Rocha
  • Pedra Azul - Casa Paroquial - Igor Dias Rocha
  • Pedra Azul - Pedra da Rocinha - Igor Dias Rocha
  • Pedra Azul - Pedra da Rocinha - Igor Dias Rocha
  • Pedra Azul - Pedra da Rocinha - Igor Dias Rocha
  • Pedra Azul - Proximidades da Pedra da Rocinha - Igor Dias Rocha
  • Pedra Azul - Pedra da Conceição - Igor Dias Rocha
  • Pedra Azul - Parque de Exposições - Igor Dias Rocha
  • Pedra Azul - Câmara Municipal - Igor Dias Rocha
  • Pedra Azul - Centro Administrativo - Igor Dias Rocha
  • Pedra Azul - Arena do Boi Preto Guarda  - Igor Dias Rocha
  • Pedra Azul - Arena do Boi Preto Guarda  - Igor Dias Rocha
  • Pedra Azul - Artesanato de Pedra Azul - Igor Dias Rocha
  • Pedra Azul - Artesanato de Pedra Azul - Igor Dias Rocha
  • Pedra Azul - Artesanato de Pedra Azul - Igor Dias Rocha
  • Pedra Azul - Artesanato de Pedra Azul - Igor Dias Rocha
  • Pedra Azul - Artesanato de Pedra Azul - Igor Dias Rocha
  • Pedra Azul - Artesanato de Pedra Azul - Igor Dias Rocha
  • Pedra Azul - Artesanato de Pedra Azul - Igor Dias Rocha
  • Pedra Azul - Igreja Presbiteriana - Igor Dias Rocha
  • Pedra Azul - Congregação Cristã - Igor Dias Rocha
  • Pedra Azul - Igreja do Senhor do Bonfim - Igor Dias Rocha
  • Pedra Azul - Igreja Matriz  - Igor Dias Rocha
  • Pedra Azul - Igrejinha do Santuário - Igor Dias Rocha
  • Pedra Azul - Igrejinha do Santuário - Igor Dias Rocha
  • Pedra Azul - Maçonaria - Igor Dias Rocha
  • Pedra Azul - Cactus da Pedra Montanha - Ricardo Souza
  • Pedra Azul - Vista de cima da Pedra da Conceição - Ricardo Souza
  • Pedra Azul - Vista de cima da Pedra da Conceição - Ricardo Souza
  • Pedra Azul - Pedra Azul vista de cima da Pedra da Conceição - Ricardo Souza
  • Pedra Azul - Pedra Azul vista de cima da Pedra da Conceição - Ricardo Souza
  • Pedra Azul - Escadaria da Pedra da Conceição - Ricardo Souza
  • Pedra Azul - Vista do topo da Cabeça Torta - Wagner
  • Pedra Azul - Vista do topo da Cabeça Torta - Wagner
  • Pedra Azul - Vista do topo da Cabeça Torta - Wagner
  • Pedra Azul - Vista do topo da Cabeça Torta - Wagner
  • Pedra Azul - Vista do topo da Cabeça Torta - Wagner
  • Pedra Azul - Vista do topo da Cabeça Torta - Wagner
  • Pedra Azul - Vista do topo da Cabeça Torta - Wagner
  • Pedra Azul - Vista do topo da Cabeça Torta - Wagner
  • Pedra Azul - Vista do topo da Cabeça Torta - Wagner
  • Pedra Azul - Vista do topo da Cabeça Torta - Wagner
  • Pedra Azul - Vista do topo da Cabeça Torta - Wagner
  • Pedra Azul - Vista do topo da Cabeça Torta - Wagner
  • Pedra Azul - Vista do topo da Cabeça Torta - Wagner
  • Pedra Azul - Pedra Cabeça Torta - Wagner
  • Pedra Azul - Pedra Cabeça Torta - Wagner
  • Pedra Azul - Pedra Cabeça Torta - Wagner
  • Pedra Azul - Pedra Cabeça Torta - Wagner
  • Pedra Azul - Pedra Cabeça Torta - Wagner
  • Pedra Azul - Vegetação na Pedra Cabeça Torta - Wagner
  • Pedra Azul - Vegetação na Pedra Cabeça Torta - Wagner
  • Pedra Azul - Vegetação na Pedra Cabeça Torta - Wagner
  • Pedra Azul - Vegetação na Pedra Cabeça Torta - Wagner
  • Pedra Azul - Vegetação na Pedra Cabeça Torta - Wagner
  • Pedra Azul - Vegetação na Pedra Cabeça Torta - Wagner
  • Pedra Azul - Vegetação na Pedra Cabeça Torta - Wagner
  • Pedra Azul - Vegetação na Pedra Cabeça Torta - Wagner
  • Pedra Azul - Vegetação na Pedra Cabeça Torta - Wagner
  • Pedra Azul - Vegetação na Pedra Cabeça Torta - Wagner
  • Pedra Azul - Vegetação na Pedra Cabeça Torta - Wagner
  • Pedra Azul - Vegetação na Pedra Cabeça Torta - Wagner
  • Pedra Azul - Represa - Wagner
  • Pedra Azul - Área Central - Wagner
  • Pedra Azul - Antigo Ginásio Pedra Azul - Wagner
  • Pedra Azul - Barragem - Wagner
  • Pedra Azul - Indicação na BR251 - Wagner
  • Pedra Azul - Pedra Cabeça Torta - Wagner
  • Pedra Azul - Pedra Forno de Bolo - Wagner
  • Pedra Azul - Pedra Cabeça Torta - Wagner

"Jequitinhonha
Braço do mar
Leva esse canto prá navegar
traz do garimpo
pedra que brilha mais que a luz do luar
Jequitinhonha
jequitibarro
mete essa unha, tira da terra
vida talhada com as mãos
."

                                  Leri Faria Jr. e Melão


Cercada de montes que caracterizam o Vale do Jequitinhonha, o município, chamado carinhosamente de Princesinha do Sertão, possui belas paisagens, curiosas histórias, riqueza natural e o cativante acolhimento mineiro.


Pedra Azul é cidade natal de grandes talentos que embalaram muitos com belíssimas poesias e músicas, como Paulinho Pedra Azul, Saulo Laranjeira, Murilo Antunes, Heitor Pedra Azul e Eduardo Neves.


Os primeiros dias do ano são marcados por uma festa alegre, colorida e muito tradicional - o Boi de Janeiro, com sua roupagem vistosa, e sua companheira Maria Teresa, uma grande boneca, saem pelas ruas em homenagem aos Santos Reis. Uma multidão segue a dupla pelas ruas enquanto o grupo dos "Foliões" toca música para o boi sambar. É um espetáculo da cultura popular mineira.


Junho é mês de celebrar São João! Fogueiras são armadas nas portas das casas, e mais, biscoitos, bolos caseiros, quentão e batidas são preparadas para tornar a festa mais saborosa. Outro costume é vestir roupa nova nesse dia e soltar muitos fogos de artifício.


Periodicamente acontece no anfiteatro Varandal o "Ocupe a Praça", organizado pelo Fórum das Juventudes de Pedra Azul, com o objetivo de divulgar a produção cultural dos artistas do município.


A criatividade é reforçada pelos festivais musicais, artísticos e circenses que acontecem na região. Um exemplo é o Festivale, evento de grande sucesso, com apresentação de grupos folclóricos, feira de artesanato, festivais de músicas e shows, que a cada ano é sediado em uma região do Vale do Jequitinhonha.


Ainda fazem parte do calendário de eventos a Corrida de Mountain Bike Festa do Vaqueiro e as Vaquejadas.


O município também é famoso pela excelente produção artesanal de mel, manteiga caipira, queijo, requeijão, óleo de pequi, pimenta, biscoito espremido, de queijo, farinhas de mandioca e beju, tapioca, mingau de milho, doces de frutas, banana, manga, jaca e outros produtos.


Outro produto de destaque é a cachaça, as mais famosas são Sentinela, Vereda Tropical, Gameleira, Balorena, Francezinha, Liberdade, Lua Nova, Mata-a-Véia, Nova Fortaleza, Nova Suíça, Três Barras, Saudade, Salvação. Para garantir a qualidade da cachaça produzida no município foi criada a Associação da Pedrazulense de Aguardente de Qualidade.


Localizado no Nordeste de Minas, na zona do Médio Jequitinhonha, o município de Pedra Azul possui beleza singular por causa de suas formações rochosas; algumas pedras possuem registros primitivos feitos por índios, tornando o local uma referência da Pré-História. Um dos símbolos do provável aldeamento indígena no município é a fazenda Aldeia, que fica a cerca de 8 km da cidade.


A primeira notícia que se tem da região vem do sertanista Quaresma Delgado, que pertenceu ao chamado Ciclo Baiano, responsável pela penetração pelo vale do rio São Francisco através da atividade pastoril e do povoamento do Norte de Minas. Delgado foi contratado pelas autoridades portuguesas na Colônia para uma diligência e o mapeamento do Norte de Minas e do sertão da Bahia, na década de 1730. Nessa ocasião, registrou a presença de algumas vendas que estavam onde hoje é o limite do município de Pedra Azul.


O marco do povoamento da região foi o chamado "Ano da Fumaça", entre outubro e dezembro de 1833, quando aconteceu uma grande queimada, que durou cerca de 60 dias. O fogo deixou imensas clareiras na mata, e, aproveitando-se delas, Manoel José Botelho deu início à Fazenda Pau d'Óleo, que vendeu a seu filho Servando José Botelho. Após a venda, fundou outra propriedade agrícola, a fazenda Veredas.


Outro empreendimento agropecuário importante para a continuidade do povoamento da região foi a fazenda Vargem Grande, iniciada em 1834 pelo padre Manoel Fernandes, que chegou à região com uma leva de escravos e novilhas.


Com o desenvolvimento das fazendas, surgiu o Arraial de Nossa Senhora da Boca da Caatinga, em alusão ao tipo de vegetação da região.


Com o tempo e a organização da sociedade, começou a luta para o arraial ser desmembrado do município de Salinas. Pela Lei Provincial nº 2.565, de 3 de janeiro de 1880, foi criado o distrito de Caatingas, que, mesmo assim, continuava subordinado a Salinas.


Em 1891, foi criado o Conselho Distrital de Catingas, que, um ano depois, encaminhou proposta de mudança do nome do distrito para Fortaleza, escolhido por alguns pelo fato de ser cercado de paredões de granito. A sugestão foi aceita, e a troca do nome aconteceu no mesmo ano.


Em agosto de 1911, através da Lei Estadual n° 556, Fortaleza foi elevada à vila e desmembrou-se do município de Salinas. Em 1925, a vila passou à categoria de cidade.


Em razão de um decreto federal que proibia cidades com nomes idênticos no país, Fortaleza foi obrigada a trocar seu nome, já que a capital do Estado do Ceará possuía o mesmo topônimo. O imortal da Academia Mineira de Letras Nelson de Faria foi quem sugeriu a substituição do nome para Pedra Azul, alusão à descoberta de águas-marinhas na década de 1920. Por meio de um plebiscito, a sugestão foi aceita, e no dia 31 de dezembro de 1943 foi decretada a alteração do nome Fortaleza para Pedra Azul.


O ano de 1927 marcou a história de Pedra Azul graças à descoberta de uma fabulosa água-marinha por Lourenço da Santa Rosa, na fazenda das Laranjeiras, de propriedade de João de Almeida. Como se diz no jargão da área da garimpagem, o fazendeiro "bamburrou" e passou a ser um dos homens mais ricos do Brasil. Nos cinco primeiros anos de extração, a lavra extraiu 1.000 kg, o equivalente hoje em dinheiro a 80 milhões de reais. Saíram das lavras de Pedra Azul águas-marinhas de alta qualidade presenteadas pelo governo brasileiro à Rainha Elizabeth II, da Grã Bretanha.


João de Almeida investiu parte de seu dinheiro em Pedra Azul, construiu hotéis, o Ginásio Pedra Azul, a Igreja Matriz e impulsionou a edificação do Hospital Ester Faria de Almeida. O Ginásio foi referência da região, sendo o local onde os filhos das famílias do norte, do nordeste e parte do leste de Minas Gerais e do sul da Bahia realizavam seus estudos de nível médio.


No ano de 1933, o planejamento para a construção da Igreja Matriz teve início sob a influência de um grupo de padres missionários vindos de Curvelo. Em 1938, o projeto arquitetônico foi elaborado por um padre holandês. Com o apoio de João de Almeida, a construção foi iniciada em 1942 e concluída na década de 60. A construção apresentou uma novidade para a época, isto é, a utilização do concreto armado.


Com relevo predominantemente ondulado, compondo 55% da topografia do local, e somente 15% plano, os morros são um convite para aqueles que gostam de se aventurar em passeios ecoturísticos, como também para quem procura tranquilidade e contemplação da natureza. Turismo fotográfico também é uma boa dica!


Pedra Azul tem como principal atividade econômica a pecuária e a agricultura, juntas correspondendo a 52,2% do PIB do município, segundo o senso do IBGE. Em 1911, o município sediou a primeira exposição pecuária da região. Desde então, Pedra Azul recebe sucessivamente exposições do gênero, atraindo investidores.


Outra riqueza mineral do município é o grafite. Descoberto em 1972, a jazida de grafite tipo flake, com teor de altíssima qualidade, começou a ser explorada em 1975. A Usina Pedra Azul, com capacidade de 36.000 toneladas, produz hoje grafites em flocos, aditivos de carbono, carbuentes, lubrificantes agrícolas, grafites micronizados.


As pedras Rocinha, Cruzeiro, Montanha e Cabeça Torta são algumas das criativas nomenclaturas às formações rochosas do município.


São filhos de Pedra Azul, a estilista Glória Coelho, o banqueiro Clemente Faria, o ministro do Supremo Tribunal Sálvio de Figueiredo Teixeira e o deputado federal João de Almeida.


Fonte de pesquisa: Silva, Eder Machado. Terras de Fortaleza - Gênese Política e Social do Município de Pedra Azul - MG. 2008

 

 

 

Enviar link

Região Turística
Jequitinhonha / Mucuri
  • Prefeitura
  • praça Teopompo de Almeida, 250 - Centro
    CEP 39970-000
    33  3751-1047


    Prefeito
    Silvana Maria Araújo Mendes
    Vice-Prefeito
    Márcio Ferreira Souto

  • Cidades próximas:
  • Águas Vermelhas
  • Almenara
  • Divisa Alegre
  • Itaobim
  • Jequitinhonha
  • Medina