Destinos

Ipatinga

Apresentação

  • Ipatinga - Parque Ipanema - Henry Yu
  • Ipatinga - Justiça - Vilma Noel - Maria Lucia Dornas
  • Ipatinga - Ipatinga - Monumento - Tomie Ohtake - Maria Lucia Dornas

"A freqüência do minério de ferro na Província de Minas Gerais, na qual se apresenta em verdadeiras cadeias de montanhas, nas proximidades de muitos cursos de água que correm por todos os vales fe gargantas, facilita muito a escolha de um lugar para o estabelecimento de instalações para fundição." W. L Von Eschwege, 1833.


Esta afirmação do famoso mineralogista alemão se encaixa perfeitamente na história de Ipatinga, pois o município teve sua origem devido à instalação de uma grande usina siderúrgica.


Na década de 30 do século 20, José Feliciano Gomes desmatou uma área com o objetivo de uma atividade agrícola. Como a ferrovia passava próxima a essas terras, seria um bom ponto para negociar a produção. Pouco depois, a posse das terras foi cedida a José Cândido Meira, que se dedicou a um serviço de extração de madeira. Mas, as terras mudariam de mão uma vez mais. Estavam, agora, em mãos de Alberto Giovanni que daria o destino das terras para a criação de gado.


Em 1934, as terras foram adquiridas pela Companhia Belgo-Mineira para extração de madeira e fabricação de carvão vegetal para abastecer as usinas de Sabará e de João Monlevade. Assim, o local passou a ser habitado por tropeiros e carvoeiros.


Nessa época, já existia uma estação chamada Ipatinga próxima ao rio Piracicaba, que servia à ferrovia que ligava Itabira a Vitória (ES).


O distrito de Ipatinga, então pertencente ao município de Coronel Fabriciano, foi criado em 1953.


A afirmação de Eschewege se concretizava, no caso de Ipatinga, em 1956. O local foi escolhido para ser a sede de um complexo siderúrgico: a Usina Intendente Câmara da recém-criada companhia Usiminas. O local, sem nenhuma infra-estrutura urbana, tinha cerca de 300 habitantes e 60 casas, mas possuía recursos hídricos, energia elétrica, malha ferroviária, proximidade de fontes de matéria-prima e de outros centros siderúrgicos. A Usina Intendente Câmara teve seu início de construção em 1958 e foi inaugurada pelo presidente João Goulart em 1962.


Era básica e emergente a necessidade de se criar uma infra-estrutura urbana para abrigar todos os que estavam envolvidos na construção da usina e os que viriam morar na cidade. Para elaborar um plano urbanístico, foi contratado pela companhia o arquiteto Rafael Hardy Filho. Para esse arquiteto, o plano teria de ser "flexível e dinâmico, de modo a poder acompanhar toda a evolução que se previa não só da industria siderúrgica em si, mas, também, de todo o processo de desenvolvimento urbano, social, econômico e demográfico, que, fatalmente, se deflagaria com a implantação, na região, de uma empresa de porte planejada pela Usiminas."


A localização da cidade ficou definida, a princípio, entre a usina e o rio Piracicaba. A orientação do projeto direcionava a construção da cidade no sentindo longitudinal por causa da topografia do local e tendo a preocupação com o escoamento das águas pluviais e esgotos.


O núcleo inicial da vila operária se localizava onde, hoje, estão os bairros Castelo, Cariru, Bom Retiro e Imbaúbas. Procurou-se organizar os bairros de forma que tivessem "vida própria" - comércio, escolas, postos de saúde e áreas de lazer. "Desde o início, a cidade deveria ser projetada em termos de comunidade aberta, na qual passada a fase inicial de construção e implantação, a livre iniciativa passasse a atuar cada vez com maior intensidade." (Rafael Hardy). O objetivo era que a cidade fosse, aos poucos, se desvinculando da empresa para não se tornar uma cidade patronal.


Rapidamente o núcleo urbano se desenvolveu e se tornou independente da sede do município de Coronel Fabriciano. A atividade siderúrgica atraía diversos tipos de negócios. No início da década de 60, os distritos de Ipatinga e Timóteo começaram uma campanha para emancipação política e administrativa. Em 1962, o projeto foi vetado pelo governo de Minas Gerais, tendo o apoio do Ministério da Indústria e Comércio. Em 29 de abril de 1964, os dois distritos conseguiram a emancipação.


Hoje, com 212 mil habitantes, Ipatinga é uma cidade desenvolvida e um dos principais pólos econômicos do Estado. Muito preocupada com a qualidade de vida de seus habitantes, conta com um dos maiores índices de área verde por habitante do Brasil - 127 metros quadrados. E a cidade ainda tem o privilégio de ser vizinha do Parque Estadual do Rio Doce , um dos paraísos ecológicos de Minas Gerais.


Ipatinga - o nome tem algumas versões: segundo o livro Nomes indígenas na geografia de Minas, a palavra vem de: YPÀ - lagoa clara, de águas claras e TINGA - branco, alvo, claro. Na obra Toponímia de Minas Gerais é explicado como YPÈ - TINGA, casca branca. O Engenheiro Pedro Nolasco explicava a origem da palavra na aglutinação dos vocábulos, IPA - Ipanema e TINGA - Caratinga. Mas, com certeza, a explicação para o significado da palavra está na língua tupi.


Enviar link

Região Turística
Rio Doce
  • Prefeitura
  • avenida Maria Jorge Selim de Sales, 100
    CEP 35160-001
    31  3829-8000
    31  3829-8401


    Site Oficial


    Prefeito
    Maria Cecília Ferreira Delfino
    Vice-prefeito
    Alfredo da Silva Ramalho

  • Cidades próximas:
  • Antônio Dias
  • Bela Vista de Minas
  • Caratinga
  • Coronel Fabriciano
  • Dionísio
  • João Monlevade
  • Marliéria
  • Nova Era
  • São Domingos do Prata
  • Timóteo