Turismo

Circuitos

Montanhas Cafeeiras de Minas

© Acervo/Prefeitura de São Sebastião do Paraíso São Sebastião do Paraíso - Parque da Lagoinha - Acervo/Prefeitura de São Sebastião do Paraíso Parque da Lagoinha

No início, as terras eram inesgotáveis, a perder de vista. Uma natureza exuberante com solos de terras fertilíssimas, um clima inigualável numa paisagem extasiante, um paraíso. Minas Gerais era assim. Com a descoberta do ouro, ondas sucessivas foram povoando este território, presenciando desde o seu fausto até sua decadência, no fim do século 18. Minas começava a empobrecer quando, em meados do século seguinte, os cafezais passaram a ocupar o Estado, trazendo de novo a riqueza para estas Gerais.


A zona Sudoeste foi a primeira a receber a imigração, não só de colonos estrangeiros, mas também de todos os cantos do país. Abriram-se brechas nas florestas, erguendo-se as primeiras construções para, em seguida, dar início à lavoura de café. Uma fazenda aqui, uma capela ali, e os povoados foram nascendo, e as cidades, crescendo.


As cidades que assim surgiram e hoje fazem parte deste circuito são: Guaxupé, Muzambinho, Nova Resende, São Pedro da União, São Sebastião do Paraíso. Elas guardam marcas do período áureo do Ciclo do Café por meio das construções urbanas e das velhas fazendas.


Interessantes neste circuito são as visitas às fazendas, onde é possível acompanhar a "lida" diária do campo, desde a plantação até a moagem do café, passando pela formação das lavouras, pela colheita e secagem dos grãos. Os retiros de leite, bem como as fazendas de criação, também são importantes presenças no espaço rural. Muitas propriedades já fazem parte dos roteiros de visitas, sempre prontas a receber e hospedar turistas interessados em conhecer e vivenciar a rotina do campo.


A natureza, generosa com o lugar, presenteou-o com belíssimas cachoeiras, rios e matas silvestres, encantando os que valorizam a qualidade do meio ambiente e incentivando a prática do ecoturismo.


As cidades são todas muito agradáveis e aconchegantes. Ali, ainda acontecem as tradicionais festas do interior com quermesses, leilões, bandas de música, quadrilhas, além das festas próprias de cada cidade,


Belíssimas são as orquídeas cultivadas em Guaxupé, que a tornaram conhecida dos orquidófilos brasileiros. Há mais de 40 anos, durante a primeira quinzena de julho, esta cidade realiza a exposição de orquídeas e plantas ornamentais.


Repleta de tradições culturais, as cidades deste circuito revivem a memória e os costumes de seus antepassados, num calendário rico em eventos, festas religiosas e folclóricas. São manifestações que revelam a alma do povo, em espetáculos cheios de ritmo, arte, cor e muita fé. Elas acontecem o ano todo.


Vale a pena conferir!


O Circuito foi certificado em 22 de dezembro de 2005.
Certificado renovado em setembro 2015.



Presidente
Marcus Bules


A agência que opera este circuito
Rota 35 Agência de Viagens
Rua Monsenhor Felipe, 468
35 3531-4749
São Sebastião do Paraíso


 

Enviar link