Minas Gerais

Geografia

Senac
  • Logo Senac Minas
  •  
  • Hotel Grogotó

Serra da Mantiqueira

© Henry Yu Passa Quatro - Vista panorâmica da área rural - Henry Yu Vista panorâmica da área rural

Uma paisagem que tem, ao mesmo tempo, algo de risonho e majestoso”.                                 

                                                                Auguste de Saint-Hilaire

 

A serra da Mantiqueira é um maciço rochoso com cerca de 500 km de extensão. Inicia-se próximo da cidade de Bragança Paulista no estado de São Paulo e segue na direção leste delineando a divisa dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro até a região do Parque Nacional do Itatiaia, a partir desse ponto adentra Minas Gerais até a cidade de Barbacena.


Durante o período Cenozoico uma cordilheira que havia na costa do Brasil fendeu e deu origem a duas grandes serras, a do Mar, ao sul e a da Mantiqueira ao norte. Entre as duas surgiu um vale com um rio, o Paraíba do Sul. 


O gigantesco maciço que se ergue na borda esquerda do Vale da Paraíba faz a divisa natural entre os estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Rio de Janeiro.  Em termos percentuais assim se divide o território da serra, São Paulo (30%), Minas Gerais (60%) e Rio de Janeiro (10%).

A região possui as terras mais altas do Brasil. O ponto culminante é a Pedra da Mina, com 2.798 metros de altitude, o quarto maior do Brasil, na divisa dos estados de Minas Gerais e São Paulo.


O nome

Segundo Joaquim Ribeiro da Costa, no livro Toponímia de Minas Gerais, mantiqueira tem origem nos vocábulos indígenas mã-tykyr, coisa que verte ou a vertente; amanty-kyr, achuva goteja ou pinga. O Dicionário Histórico Geográfico de Minas Gerais traz a explicação: “... foi traduzido por Francisco Freire Alemão por “terra onde os aguaceiros são frequentes”. Baseado na grafia adotada por Antonil Amantiqueira, Freire registrou: amana=chuva; tykyra – manar, correr...” 


Assim, o nome indígena Mantiqueira pode ser compreendido por “lugar onde nascem as águas” ou “serra que chora”, devido à grande quantidade de nascentes e cursos d’água que nela se originam e ajudam a formar inúmeras bacias hidrográficas do Sudeste.


Suas águas abastecem as pequenas cidades e os grandes centros urbanos da região e parte do estado do Rio de Janeiro, além de constituírem um importante contribuinte do Sistema Cantareira, que abastece a Região Metropolitana de São Paulo. As bacias dos rios Paraná, Verde, Grande, Jaguari, Sapucaí, Sapucaí-Mirim e Paraíba do Sul (que fornece água para a maior parte da população fluminense), entre outras, são abastecidas pela Serra da Mantiqueira. A região é também considerada a maior província de água mineral do planeta em quantidade e qualidade do recurso.


Em obras do século 18 e 19 existem referências à serra.
          

Diversidade
A topografia com um desnível de 700m a 2.798m favorece uma diversidade de ecossistemas - campos de altitude, diferentes tipos de florestas, matas de araucária e pequenas áreas brejosas. A fauna possui grande número de espécies endêmicas e animais em extinção como a onça parda e outros felinos, do lobo-guará, da lontra, do papagaio do peito roxo, entre outros.


Vegetação

Floresta Ombrófila Densa
De 500 a 1.500 metros de altitude
Caracteriza-se por ser uma mata fechada, muito verde e úmida, repleta de figueiras, samambaias, bromélias, orquídeas e palmeiras como o palmito-juçara.


Floresta Estacional Semidecidual
De 500 a 1.500 metros de altitude
Predominante ao longo da divisa entre Minas Gerais e Rio de Janeiro, tem como traço fundamental a perda da folhagem de parte das árvores durante a estiagem. Entre as espécies mais características estão a peroba, a canela e o jacarandá.


Campos de Altitude
Acima dos 2.000 metros


As árvores de grande porte já não resistem aos ventos frios e baixas temperaturas. As matas são substituídas pelos Campos de Altitude, onde a vegetação se restringe às gramíneas e aos pequenos arbustos que crescem entre as rochas.


Fauna
Cerca de 150 espécies de mamíferos já foram registradas em pesquisas ao longo da serra, algumas estão na lista de ameaçadas de extinção, como o lobo-guará, o tamanduá-bandeira, o bugio e o muriqui.


Entre os animais de pequeno  e médio porte podem ser citados, o porco-do-mato, o inhambu, os macacos (bugio, sauá e mico-preto), o tamanduá, o ouriço, o serelepe, o furão, a irara, o gambá, o quati, o veado, o cachorro-do-mato, o lobo-guará, a paca e felinos (onça parda ou suçuarana, gato-do-mato e jaguatirica).


Acima de 1.900 metros, registram-se principalmente as aves, entre elas os gaviões, a coruja-do-mato, o corujão-da-mata e a siriema. Estimativas indicam que, só no Parque Nacional do Itatiaia, vivam mais de 100 mil espécies de insetos e 300 espécies de aves.


Picos
As quinze formações mais altas da serra da Mantiqueira são:
Pedra da Mina: 2798,39 m
Pico das Agulhas Negras: 2791,55 m
Morro do Couto: 2680,99 m
Pedra do Sino de Itatiaia: 2670 m
Pico dos Três Estados: 2665 m
Pedra do Altar: 2665 m
Pico do Maromba: 2619 m
Morro do Massena: 2609 m
Pico da Cabeça de Touro: 2600 m
Morro do Tartarugão: 2595 m
Pedra Furada: 2589 m
Pico Serra Negra: 2572 m
Maciço das Prateleiras: 2548 m
Pico Dois Irmãos: 2500 m
Pedra Cabeça de Leoa: 2483 m


Os municípios mais altos localizados na Serra da Mantiqueira

Campos do Jordão: 1.628 m
Monte Verde: 1.555,5 m
Morangal: 1.515 m
Senador Amaral: 1.496 m
São Tomé das Letras: 1.440 m
Bom Repouso: 1.371 m
Gonçalves: 1.350 m
Augusto Pestana: 1.320 m
Marmelópolis 1.277 m
Maria da Fé: 1.258 m
Bom Jardim de Minas: 1.250 m
Munhoz: 1.235 m
Bocaina de Minas: 1.210 m
Delfim Moreira: 1.207 m
Bueno Brandão: 1.204 m
Ipuiuna: 1.201 m
Visconde de Mauá 1.200 m
Poços de Caldas: 1.198 m
Barbacena: 1.164 m
Liberdade: 1.152 m


O Mosaico Mantiqueira

Com o objetivo de integrar e ampliar as várias ações já existentes para a conservação do patrimônio natural e cultural da região foi criado pelo Ministério do Meio Ambiente, por meio da Portaria nº 351 de 11 de dezembro de 2006 o Mosaico Mantiqueira.


A área do Mosaico Mantiqueira abrange cerca de 729.138 hectares, sendo que 434.108 hectares correspondem à Área de Proteção Ambiental (APA) da Serra da Mantiqueira. Também fazem parte 17 Unidades de Conservação (UC) públicas localizadas na região, além de diversas Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPN). Outra APA criada com o objetivo de conservar de maneira apropriada os importantes recursos hídricos e a mata atlântica desta região é a APA Mananciais do Rio Paraíba do Sul, com fragmentos ao longo da serra da Mantiqueira e também na serra do Mar e no vale do rio Paraíba do Sul.


A área do Mosaico Mantiqueira abrange parte do território de 38 municípios, listados a seguir: 24 municípios em Minas Gerais: Aiuruoca, Alagoa, Baependi, Bocaina de Minas, Brasópolis, Camanducaia, Delfim Moreira, Extrema, Gonçalves, Itamonte, Itanhandu, Itapeva, Liberdade, Marmelópolis, Paraisópolis, Passa Quatro, Passa Vinte, Piranguçu, Pouso Alto, Sapucaí Mirim, Toledo, Virgínia e Wenceslau Brás; 2 municípios no Rio de Janeiro: Resende e Itatiaia; e 13 municípios de São Paulo: Campos do Jordão, Cruzeiro, Guaratinguetá, Lavrinha, Lorena, Monteiro Lobato, Piquete, Pindamonhangaba, Queluz, São Bento do Sapucaí, São José dos Campos, Santo Antônio do Pinhal e Taubaté.


O Mosaico Mantiqueira integra o Corredor da Biodiversidade da Serra do Mar, onde também estão constituídos o Mosaico Bocaina e o Mosaico Central Fluminense, todos criados em 2006.


Unidades de Conservação que fazem parte do Mosaico da Mantiqueira

Parque Nacional do Itatiaia - RJ/MG  (28.084 ha)
Parque Estadual de Campos do Jordão - SP (8.341 ha)
Parque Estadual dos Mananciais de Campos do Jordão - SP (503 ha)
Parque Estadual da Serra do Papagaio - MG (22.917 ha)
Parque Estadual da Pedra Selada - RJ (8.036)
Parque Natural Municipal do Rio Pombo -  RJ (6,7 ha)
Parque Natural Municipal da Cachoeira da Fumaça e Jacuba - RJ (363 ha)
Parque Natural Municipal do Trabiju – SP (603.09 ha)
Parque Natural Municipal do Brejo Grande - MG (13 ha)
Parque Natural Municipal Augusto Ruschi – SP (200 há)
Floresta Nacional de Passa Quatro - SP (350 ha)
Floresta Nacional de Lorena - SP (249 ha)
Monumento Natural Estadual da Pedra do Baú – SP (3.154 ha)
Monumento Natural Municipal do Itaguaré – SP (3.330 ha)
Área de Proteção Ambiental (APA) Federal da Serra da Mantiqueira (434.108 ha)
APA Federal dos Mananciais do Rio Paraíba do Sul - RJ (292 ha)
APA Estadual Fernão Dias - MG (180.073 ha)
APA Estadual de Campos de Jordão - SP (28.800 ha)
APA Estadual Sapucaí Mirim - SP (39.800 ha)
APA Estadual São Francisco Xavier - SP (11.559 ha)
APA Municipal de Campos de Jordão - SP (28.800 ha)
APA Municipal da Serrinha do Alambari - RJ (5.760 ha)
APA Estadual do Banhado - SP  (9.100 ha)
RPPN Ave Lavrinha - MG (49 ha)
RPPN Mitra do Bispo - MG (35 ha)
RPPN Alto Gamarra - MG (35 ha)
RPPN Dois Peões - RJ (59.98 ha)
RPPN Jardim de Mukunda - RJ (21,7 ha)
RPPN Alto Montana - MG (672 ha)
RPPN Pedra da Mina - SP (632,82 ha)
RPPN Bela Aurora - SP (86,15 ha)
RPPN Terra Uma - MG (9,11 ha)
RPPN François Robert Arthur – MG (80 ha)


Turismo na Mantiqueira

A Mantiqueira tem uma forte vocação para o turismo. As famosas e  agradáveis estâncias hidrominerais como Caxambu, Lambari e Baependi   oferecem fontes de águas gasosas, magnesiana, férrea e sulfurosa, carbo-gasosas e outras. Essas águas podem ser degustadas nos aprazíveis parques das águas de cada cidade. 


Já  consolidados são os circuitos turísticos: das Águas, Caminhos do Sul de Minas, Terras Altas da Mantiqueira, Serras do Ibitipoca e Serras Verdes do Sul de Minas. Destaques nos circuitos são Monte Verde, o Parque Estadual do Ibitipoca e o Vale do Matutu.


O Vale do Matutu em Aiuruoca é uma área de 3 mil hectares, que, transformada em Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN), tem como objetivo lazer, pesquisa científica e desenvolvimento sustentado.


Situado na Zona da Mata Mineira, o Parque Estadual do Ibitipoca, uma das mais belas unidade de conservação de Minas, é um verdadeiro paraíso ecológico em um dos pontos mais altos da Mantiqueira.


A bela estância climática chamada Monte Verde é cercada de pinheiros, eucaliptos e partes da mata atlântica; o clima seco e frio faz dessa típica vila de montanha, com arquitetura europeia, um lugar muito especial onde a natureza é a grande atração. Monte Verde é distrito do município de Camanducaia.


Belas paisagens da serra da Mantiqueira e um clima agradabilíssimo. Essa é a boa opção nas cidades de Extrema, Itamonte, Itanhandu, Itapeva, Passa Quatro para quem busca descanso, lazer e beleza. Alguns dos atrativos são os ótimos hotéis-fazenda.


O turismo reliogioso tem sua força em Baependi, a serva de Deus Nhá Chica atrai centenas de devotos a Baependi que visitam anualmente seu túmulo e sua casa.


As lendas e histórias que fazem parte da cidade envolvem São Tomé das Letras num clima esotérico, tornando-a conhecida como "a cidade mística do Brasil". Em contraponto, a vida dos seus moradores é bem simples, típica do interior de Minas. Em 1996, recebeu o selo de potencial turístico, concedido pela Embratur, passando a integrar oficialmente o rol das principais cidades turísticas do Sul de Minas.


A região é uma grande produtora de laticínios, do mais comum aos mais finos de receitas francesas. Das cozinhas de Piranguinho saem os melhores pés-de-moleques do País.


Fontes
http://www.xavierbartaburu.com 
http://mosiacomantiqueira.org.br

Enviar link