Minas Gerais

História

Senac
  • Logo Senac Minas
  •  
  • Hotel Grogotó

25. José de Magalhães Pinto

Magalhães Pinto

José de Magalhães Pinto

Cronologia
Nasceu: 28 de junho de 1909
Faleceu: 3 de março de 1996
Filiação: José Caetano de Magalhães Pinto e Maria de Magalhães Pinto
Natural de Santo Antônio do Monte

Formação
Ciências Econômicas
Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito de Minas Gerais

Atividades
Professor
Advogado
Banqueiro
Secretário de Finanças do Governo de Minas Gerais - 1947 a 1950
Ministro das Relações Exteriores - 1967 a 1968
Deputado federal - 1946 a 1947, 1950 a 1955, 1955 a 1959, 1959 a 1961, 1966 a 1967, 1967 a 1971
Governador do Estado de Minas Gerais - 1961 a 1966
Senador - 1971 a 1978

Trajetória de vida
Começou no trabalho como escriturário no Banco Hipotecário e Agrícola do Estado de Minas Gerais aos 17 anos. Três anos mais tarde, chegaria à direção deste mesmo banco, instituição que só deixaria em 1943 por pressão do Estado Novo de Getúlio Vargas. Foi presidente da Associação Comercial de Minas, no biênio 1938-1939, e criou a Federação do Comércio do Estado. Em 1944, funda o Banco Nacional.

Em 1945, elege-se para seu primeiro mandato pela União Democrática Nacional (UDN), reelegendo-se, consecutivamente, até 1963. Integrou a Secretaria de Finanças durante o governo Milton Campos (1947 a 1951). Nesse cargo, instituiu uma revisão do sistema tributário mineiro, aumentando, de maneira significativa, a arrecadação.

Grande estrategista político, Magalhães Pinto foi o autor da trama que levou a UDN à vitória nas eleições de 1960 para o governo do Estado e para a Presidência da República, com Jânio Quadros.

Assim que tomou posse como governador, criou o Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) e consolidou o Conselho de Desenvolvimento do Estado, que fez multiplicar as obras públicas.

Após a renúncia de Jânio, o governador mineiro sentiu a desestabilização e chegou a romper com o governo federal na posse de João Goulart. Arquitetou com Castelo Branco a tomada do poder pelos militares e ficou encarregado até de iniciar o levante. No dia 31 de março, as tropas de Minas marchavam rumo ao Rio de Janeiro.

Com o fim dos partidos, em 1967, filiou-se à Aliança Renovadora Nacional (Arena) e elegeu-se para mais um mandato no Congresso Nacional, cargo que ocuparia até 1979. Apenas interrompeu sua legislatura para ser ministro das Relações Exteriores. Nesse cargo, foi um dos que assinaram o Ato Institucional nº 5, o mais repressivo de toda a ditadura militar. Em 1987, retira-se da vida pública.

Homenagem
Estádio Governador Magalhães Pinto (Mineirão) - Belo Horizonte/MG
Avenida Magalhães Pinto - Arcos/MG
Avenida Governador Magalhães Pinto - Divinópolis/MG
Avenida Governador Magalhães Pinto - Coronel Fabriciano/MG
Avenida Governador Magalhães Pinto - Montes Claros/MG
Avenida Magalhães Pinto - Itaúna/MG
Avenida Magalhães Pinto - Dores do Indaiá/MG
Avenida José Magalhães Pinto - Ituiutaba/MG
Edifício Magalhães Pinto - Goiânia/Goiás
Rua Governador Magalhães Pinto - Congonhas/MG
Rua José Magalhães Pinto - Lagoa Santa/MG
Praça Governador Magalhães Pinto - Paracatu/MG

 

 

Enviar link