Minas Gerais

Geografia

Senac
  • Logo Senac Minas
  •  
  • Hotel Grogotó

Rio das Velhas

Bacias
Rio das Velhas
Rio São Francisco


Nascente
Área de Proteção Ambiental da Cachoeira das Andorinhas


Extensão
761km


Desaguadouro
Rio São Francisco / Distrito de Barra do Guaicuí, município de Várzea da Palma


Principais municípios banhados pelo rio das Velhas
Baldim
Itabirito
Jaboticatubas
Jequitibá
Lassance
Nova Lima
Rio Acima
Sabará
Santa Luzia
Santana de Pirapama
Santo Hipólito
Várzea da Palma


Histórico do nome
Pelos indígenas, o rio era chamado pelo nome de Guaicuí. Segundo o livro Toponímia de Minas Gerais, o vocábulo é originário de guaimi – mulher velha. O historiador Diogo de Vasconcelos explica que a palavra se originou de Uaimi-i, que significa rio das velhas. No caso, então, aconteceu uma tradução literal para o português.


De acordo com a lenda, o nome teve origem no fato de os bandeirantes terem encontrado, no final do século 17, muitos indígenas idosos vivendo às margens do rio, na região onde hoje se encontra a cidade colonial de Sabará.


Mais informações
A bacia do rio das Velhas possui aproximadamente 28.173 km2 e 51 municípios total ou parcialmente abrangidos. Nos trechos do alto e médio da bacia, estão 15 municípios que pertencem à Região Metropolitana de Belo Horizonte. É nessa região que se concentram 86% da população da bacia, com cerca de  4,4 milhões de habitantes.


Essa região da área metropolitana de Belo Horizonte, por ter alto índice de urbanização e expressiva atividade industrial, é responsável pela degradação que o rio das Velhas vem passando ao longo das últimas décadas.


Em defesa da bacia e com a filosofia de “trazer o peixe de volta ao rio das Velhas”, surgiu o Projeto Manuelzão, da Universidade Federal de Minas Gerais para “[...] promover a revitalização da bacia do Rio das Velhas". Suas atividades tiveram início em 1997, na Faculdade de Medicina, pela iniciativa de um grupo de professores que perceberam que saúde não é apenas uma questão médica: ela está diretamente relacionada às condições sociais e ao meio ambiente em que as pessoas vivem.


Dessa forma, o projeto tem como eixo de atuação a promoção da saúde, do ambiente e da cidadania. A volta do peixe ao rio é o símbolo de sua luta. Para traduzir sua causa, o projeto buscou inspiração em uma figura simples, grande conhecedora do sertão mineiro: o vaqueiro Manuel Nardi, que foi imortalizado na obra do escritor Guimarães Rosa como Manuelzão.


Com atuação nos 51 municípios da bacia, o projeto incentiva a participação e o comprometimento das pessoas, constrói relações com o poder público e o empresariado, atua na educação ambiental e na pesquisa. "Tudo isso é feito para que, em cada canto da bacia, as pessoas atuem pelas questões locais e se percebam parte de um sistema em que cada ação, positiva ou negativa, reflete no todo. É o que o projeto chama de pertencimento de bacia.” (Disponível em: www.manuelzao.ufmg.br . Acesso em: 4 set. 07)


Entre os anos de 1850 e 1856, o naturalista Johannes T. Reinhardt, em sua estada em Lagoa Santa à convite de Dr. Lund, realizou as primeiras pesquisas científicas no rio.


O rio das Velhas foi de grande importância para o povoamento da região das minas. No final do século 17, Borba Gato, integrante da bandeira de Fernão Dias, fixou-se com outros integrantes às suas margens, em um trecho onde o rio era pródigo em ouro. O povoado originário desse assentamento se tornou a terceira vila de Minas – A Vila Real de Nossa Senhora da Conceição do Sabará, depois elevada à sede da Comarca do Rio das Velhas – uma das cinco regiões administrativas da Capitania das Minas. Um dos resultados da bandeira de Fernão Dias foram as descobertas do precioso metal no rio das Velhas. No censo de 1776, a Comarca do Rio das Velhas possuía 99.500 habitantes.


Meta 2010/2014
A partir da constatação de que era preciso revitalizar o rio das Velhas o Projeto Manuelzão/UFMG propôs e o Governo do Estado de Minas Gerais assumiu o compromisso com META 2010: navegar, pescar e nadar no rio das Velhas, em sua passagem pela Região Metropolitana de Belo Horizonte, até 2010.



O foco da Meta 2010 era a região mais poluída da bacia do Velhas, que vai da foz do rio Itabirito até o ribeirão Jequitibá. As ações de revitalização neste trecho são fundamentais para a recuperação de toda a bacia.


"Fazendo agora um balanço da Meta 2010, ela teve 60% de sucesso. Nadamos com segurança em Santo Hipólito, na região de Curvelo, no médio curso. Nesta região é comemorado o milagre da multiplicação dos peixes e da ressurreição do rio. Dados do biomonitoramento do NUVELHAS/Projeto Manuelzão/UFMG, que vem sendo realizado há mais de dez anos, comprovam que peixes antes ausentes estão hoje chegando à RMBH. No geral o rio melhorou muito. Mas ainda não conseguimos a vitória de poder nadar na RMBH com segurança. Por isso, para não deixar o vazio tomar conta, e fazer com os parceiros as reformulações necessárias na gestão, lançamos a Meta 2014, para finalmente podermos nadar na RMBH e ter aí um rio cheio de peixes da bacia da São Francisco. Algumas diretrizes para esse novo momento estão previstas em documento assinado dia 14 de Agosto, às margens do rio das Velhas, pelo governador Antonio Anastasia, por  Aécio Neves, por diversos prefeitos  – entre os quais o prefeito de BH Márcio Lacerda, os coordenadores do Projeto Manuelzão, secretários de Estado, deputados, Núcleos do Projeto Manuelzão e pessoas presentes ao evento.


A Meta 2014 exclui de forma peremptória a construção de barragens na calha do Rio das Velhas e na bacia do rio Cipó. No caso de Santo Hipólito uma barragem teria consequencia devastadora sobre os ecossistemas da bacia do Cipó/Paraúna, Pardo e médio Velhas, além da inundação de povoados, de terras férteis da região e isolamento de pessoas. Esta barragem nunca foi uma reivindicação regional. A região tem outras prioridades
."


O objetivo maior da Meta 2014 é a conquista de uma sociedade com nova visão-de-mundo que seja civilizatoriamente superior, ecossistemicamente adequada às necessidades de todas as espécies, verdadeiramente democrática e justa, abolindo fronteiras e preconceitos. As águas e o peixe estão cumprindo o papel estratégico de guias e inspiradores de uma transformação da mentalidade."
(Projeto Manuelzão)

 



 



A Meta 2010 foi a base para elaboração do Plano Diretor do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas, aprovado em outubro de 2004, no qual estão definidas várias ações específicas de saneamento e recuperação ambiental, visando alcançar a melhoria da qualidade das águas da bacia e o retorno do peixe ao rio.

Enviar link