Cultura

Manifestações Culturais Tradicionais

Senac
  • Logo Senac Minas
  • Hotel Grogotó
  •  

Materiais utilizados pelos artesãos mineiros

Barro
Como em outras áreas do Brasil, a cerâmica constitui-se no mais rico de todos os tipos de artesanato de Minas Gerais, não somente pela grande incidência de argilas e suas variedades, como pelo legado das tradições indígena e portuguesa, que se incorporaram ao cotidiano de nossas populações rurais.

A maior parte desse produção, incluindo cerâmica utilitária, demonstra a presença irrefutável de uma preocupação estética, que se expressa nos contornos agradáveis e nas decorações feitas sobre as peças, ora através da aplicação de ornamentos moldados separadamente ou modelados em relevo nos próprios objetos, ora pelo uso de tintas ou barros de colorações diversas.

Destacam-se na produção de cerâmica, pela criatividade e esmero técnico com que a realidade, os artesãos do vale do Jequitinhonha e os do Norte de Minas, sobretudo os de Montes Claros, Janaúba e Januária, ainda que outras áreas do estudo contribuam de maneira significativa para sua difusão.


Fios
Os fios, muitas vezes representando um processo intermediário, cuja matéria prima costuma ser o algodão, a lã, a juta ou a pita, são usados na tecelagem, no bordado e na confecção de rendas, onde também se utiliza o fio industrializado, adiquirido dentro e fora do estado.

Contribuiram para o desenvolvimento da fiação três elementos raciais básicos de nossa cultura. A tecelagem, vinculada sobretudo à tradição europeia e africana, foi também influenciada pela técnica indígena que lhe transferiu a habilidade e o bom gosto manifestado no traçado de palha e cipós. Já as tapeçarias, rendas e bordados são de origem quase que exclusivamente europeia.


Adaptando formas tradicionais de produzir e ornamentar, os trabalhos em fios, com uma função primariamente utilitária, são também usados para a decoração de ambientes, o que facilita, em certa medida, a preservação da atividade.

Disseminados geralmente por todo o estado, o artesanato de fios, em suas diferentes manifestações, apresenta-se particularmente desenvolvido no vale do Jequitinhonha e Norte de Minas, com suas bonitas peças rústicas de fios elaborados à mão; no sul, que utiliza matéria-prima industrializada para a confecção manufaturada de colchas de padronagens coloridas e alegres; e no alto São Francisco, em especial no município de Patos de Minas, onde a junção de fios de algodão e lã de carneiro contribui para a graça especial das cobertas e outros artigos ali produzidos.


Fibras
Legados quase que exclusivos da cultura indígena e conformando-se como um artesanato basicamente utilitário, os produtos de fibras - matérias-primas vegetais mais rijas e menos trabalhadas que os fios - costumam também destinar-se a fins lúdicos e/ou decorativos: miniaturas de bolsas e chapéus, bonecas de palha de milho, tapetes, etc.

Além de intimidade com a matéria-prima, o uso das fibras e trançados exige habilidade e treinamento constante do produtor, de cujas mãos experientes podem surgir belas peças de cestaria, redes e gaiolas, bolsas e suportes para plantas, peneiras e abanos, que não raramente revelam aspectos de real valor.

A Zona Metalúrgica, a Zona da Mata e o Sul são áreas que concentram o maior número de municípios e de artesãos produtores de peças de fibras. Estas podem ser, no entanto, facilmente encontradass em outras regiões do Estado.


Pedras
Pela abundância, variedade e qualidade das matérias-primas, o artesanato em pedras é muito importante em Minas Gerais, onde são trabalhadas pedras preciosas e semi-preciosas, pedras-sabão e outras.

As mais valiosas, tradicionalmente incrustadas em metais preciosas pelos mestres portugueses ou simplesmente lapidadas, são usadas para fazer adornos para homens e mulheres e imagens de santos. Para a confecção de pequenas esculturas - figuras de animais e frutas - são utilizadas pedras semi-preciosas, que servem também para fazer cinzeiros, prendedores de papel, cantoneiras para livros, chaveiros, brincos , pulseiras e colares, singularizados pelas características particulares de cada pedra e pela habilidade do artesão no seu corte e tipo de polimento.

A pedra-sabão se presta a trabalhos bastante diferenciados, dos portais, soleiras, escadarias, etc. para construção, aos utensílios domésticos e peças decorativas, como panelas, jarros, castiçais, cinzeiros e copos, imagens de santos, cópias de esculturas sacras e tantos outros.

Concentrado em poucos municípios, o artesanato de pedras se localiza sobretudo na Zona Metalúrgica e no sul, sendo também desenvolvido nas cidades de Teófilo Otoni e Montes Claros, onde é abundante a matéria-prima.


Madeira
Os objetos artesanais em madeira, que faziam parte integrante do dia a dia de nosso silvícola, sofreram posteriormente a influência africana e se enriqueceram no contato com a arte barroca portuguesa.

A grande variedade da produção mineira oferede desde as peças utilitárias, como utensílios domésticos, as colheres de pau, os pilões, os cochos, as gamelas, os móveis e os artigos decorativos, lúdicos e religiosos. Dentre os últimos, predominam as esculturas figurativas das mais diferentes formas e tamanho que incluem de santos e orixás, cenas do cotidiano, reproduções de danças e festas folclóricas, instrumentos musicais, ex-votos, diversas miniaturas móveis, às enormes carrancas do São Francisco.

As regiões que apresentam um número maior de indivíduos dedicados a esta atividade são a Zona Metalúrgica, o Alto São Francisco e o vale do Jequitinhonha.


Outros
Além dos trabalhos apresentados, a atividade artesanal em Minas Gerais abrange vários outros tipos de matérias primas. Incluem-se entre estas os metais, os panos, os vidros, sub-produtos, animais, sobras industriais, sintéticos, papel, sementes e flores secas.

Favorecido pelas condições naturais o Estado de Minas se mostra bastante profícuo no artesanato de metais, que engloba produtos feitos em ouro, prata, estanho e cobre, ademais do ferro, das folhas de flandres e de lata.

Menos disseminados, mas demonstrando a capacidade do artesão de aproveitar em sua atividade quase todo tipo de material disponível, outros trabalhos artesanais são colocados à disposição dos consumidores: Almofadas, bonecas, "mobili" feitos de panos, esculturas, bijuterias, isqueiros confeccionados a partir de ossos de chifres, penas, etc. arranjos decorativos feitos com flores secas e uma infinidade de outros objetos.


Fonte: Artesanato de Minas Gerais. Secretaria de Estado do Trabalho, Ação Social e Desportos. 1978/82

Enviar link

© Maria Lucia Dornas Diamantina - Conceição  Santeira - Maria Lucia Dornas Conceição Santeira
© Henry Yu Diamantina - Peças de artesanato - Henry Yu Peças de artesanato
© Sérgio Freitas Salinas - Artesanato (Mercado de Salinas) - Sérgio Freitas Artesanato (Mercado de Salinas)
© Alexandre C. Mota Ouro Preto - Pedras preciosas - Alexandre C. Mota Pedras preciosas
© Fábio Carvalho Resende Costa - Tear manual - Fábio Carvalho Tear manual
© Maria Lucia Dornas Mariana - Artesanato local - Maria Lucia Dornas Artesanato local
© Divanildo Marques Pirapora - Carranca - Divanildo Marques Carranca
© Divanildo Marques Pirapora - Artesanato em madeira - Divanildo Marques Artesanato em madeira
© Maria Lucia Dornas Ouro Preto - Artesanato em pedra sabão - Maria Lucia Dornas Artesanato em pedra sabão
© Maria Lucia Dornas Ouro Preto  - Panelas de pedra sabão - Maria Lucia Dornas Panelas de pedra sabão
© Juliana Almeida Minas Novas - Artesanato - Minas Novas - Juliana Almeida Artesanato - Minas Novas
© Roberta Almeida Betim - Redes produzidas no Salão do Encontro, em Betim. - Roberta Almeida Redes produzidas no Salão do Encontro, em Betim.
© Maria Lucia Dornas Almenara - Bordados de Adelícia Amorim - Maria Lucia Dornas Bordados de Adelícia Amorim