Cultura

Manifestações Culturais Tradicionais

Senac
  • Logo Senac Minas
  •  
  • Hotel Grogotó

Exemplos de Brinquedos e Brincadeiras

© Stock Photos Stock Photos

Brinquedos
Assobio de madeira ou de argila

Bentes e altas ou taco

Bichos de legumes, de sabugo, de sementes de frutas ou frutos de casca dura de árvore de grande porte como o jatobá; exemplo: caroço de manga bem chupado, penteia-se as linhas e faz-se coelhinhos

Bilboquê

Birosca ou bolinha de gude

Bola de meia (usa-se para jogar queimada, jogar Bentes altas, jogar na boca do palhaço, boliche de latas)

Bola de Bexiga de Porco

Bola de Sabão usando canudo de mamona, de taquara até canudo de papel

Boliche de latas

Boneca de pano, de sabugo de milho; de jornal; de garrafas pet Caleidoscópio;

Cama de gato - usando o barbante trançado nas pernas ou nas mãos

Canudo de mamona, de taquara para fazer bola de sabão, para atirar bolinha de papel

Carrinho de Guia

Carrinho de Pau

Cavalo de Pau

Caveira de abóbora, de mamão, de cabaça

Cinco marias ou belisca; (usam pedras ou pequenos saquinhos cheios de areia, de arroz ou outras sementes pequenas como alpiste)

Corda de sisal - brincam de várias formas usando palavreados ou cantorias para pular

Currupio (Barbante, botão de 2 ou 4 furos ou tampinha)

Diabolô

Dobraduras: barquinho de papel, aviãozinho, cata-vento, sapinhos, flores

Dominó

Espada de Pau

Finca - ponta de ferro que risca o chão ainda molhado, principalmente após uma chuva

Galinha, gato cujo som é extraído da latinha e cordão

Gangorra de corda de sisal, gangorra de pneu

Instrumentos musicais construídos para despertar a sensibilidade de ritmos e sons - flautinha de bambu, tambores de pau e de lata, violinhas, chocalhos de cabaça, pau de chuva, etc...

Ioiô

Jogos de argolas - joga-se as argolas nos gargalos da garrafa cheia de areia, ou no pau roliço de pé, fixado na tábua

Jogos de damas

Jogo da velha

Língua de sogra

Mobília feita de caixa de fósforos, toquinho de madeira;

Panelinhas para brincar de cozinhadinho.

Patinete de rolimã

Perna de pau e de lata

Peteca de palha de milho

Pião de chicote ou de fieira, piorra

Pipa, papagaio, arraia, colibri, capucheta (recebem nomes variados de acordo com o formato ou região) e a Manivela ou lata de óleo que enrola a linha de carretel nº 4

Pneu ou aro e o arco de arame para empurar

Resta um confeccionado com pet e bolinha de gude

Rolete

Telefone sem fio

Teia de Barbante

Trapezista

Vai e vem 


Brincadeiras
Cozinhadinho

Quatro Cantos

Parte Queijo

Corre Cutia

Bola Atrás

Rouba Bandeira

Corrida do Saco

Corrida do Ovo

Barra Manteiga

Chicotinho Queimado

Pular Carniça

Boca de Forno

Cabra Cega

Sô Lobo está aí

Corrente que mata gente

Batata quente

Batatinha Frita... um.. dois.. três

Pai Francisco

Boca de Forno

Rabo no Burro

Pirulito que bate... bate

Maestro

Macaco disse

Escravo de Jô

Você conhece o João?

Matatira... tira... rei...

Passar Anel

Disparate

Toca de Coelho

Mia Gato

Pegador - de Agachar, do pé no Ar, de Colar, Mãe da Rua, de Esconder

Amarelinha, Maré ou Céu e Inferno


Cantigas e Brincadeiras de Roda
As rodas infantis são, em sua maioria, herdadas da cultura francesa. As feiras francesas das Ordens Sacre Coeur e Notre Dame de Sion, por vias eclesiásticas chegaram ao Brasil. Nas escolas de suas responsabilidades, muitas delas em regime de internato, ensinaram as brincadeiras francesas para as alunas. Estas vieram a ser professoras em suas cidades de origem. Logo, levaram as músicas de roda e brincadeiras para a região. Houve a preocupação dos portadores do fato, preservar os sons e melodias e não o sentido das palavras, por isso, vemos cantorias de diversas brincadeiras de roda com o mesmo ritmo e melodia, mas as letras sofrem algumas variações.


1. Fonte do Itororó
Fui na fonte do Itororó
Beber água não achei.
Achei foi a Maria
Que no Itororó deixei.
Oh! Maria, oh! Mariazinha,
Entra nesta roda
E dançará sozinha.


Maria diz dentro da roda:


Sozinha eu não fico
Nem devo ficar,
Porque tenho José
Para ser meu par.
Em frente a José - Maria e ele:
Tira...Tira...teu pezinho,
Ponha aqui, bem junto ao meu.
E depois não vai dizer
Que você se arrependeu.


Eu passei por uma porta,
O cachorro me mordeu.
Não foi nada, não foi nada,
Quem sentiu a dor fui eu.


2. A Linda Rosa Juvenil
Oh! Linda rosa juvenil
Juvenil...juvenil...
Oh! Linda rosa juvenil, juvenil.
Vivia, alegre no solar,
No solar...no solar...
Vivia alegre no solar, no solar.
Mas uma feiticeira má,
Muito má...muito má...
Mas uma feiticeira má, muito má.
Adormeceu a rosa assim,
Bem assim...bem assim...
Adormeceu a rosa assim, bem assim.
Não há de acordar jamais,
Nunca mais...nunca mais...
Não há de acordar jamais, nunca mais.
E o mato cresceu ao redor,
Ao redor...ao redor...
E o mato cresceu ao redor, ao redor.
Um dia veio um lindo rei,
Lindo rei...lindo rei...
Um dia veio um lindo rei, lindo rei.
A bela rosa despertou,
Despertou...despertou...
A bela rosa despertou, despertou.
Digamos ao rei muito bem,
Muito bem...muito bem...
Digamos ao rei muito bem, muito bem.


3. Vem cá Bitu
Vem cá Bitu, vem cá Bitu,
Vem cá...vem cá, vem cá.
Não vou lá, não vou lá, não vou lá,
Tenho medo de apanhar
Vem cá Bitu, vem cá Bitu,
Vem cá meu coração.
Já vou lá, já vou lá, já vou lá,
Levar flores pra São João.
(repete-se a 1ª estrofe)


4. Nesta Rua
Nesta rua tem um bosque
Que se chama solidão.
Nesse bosque mora um anjo
Que roubou meu coração.
Se roubei teu coração,
Tu roubaste o meu também.
Se roubei teu coração,
É porque te quero bem.


5. Terezinha de Jesus
Terezinha de Jesus,
De uma queda foi ao chão.
Acudiram três cavaleiros,
Todos três de chapéu na mão.
O primeiro foi seu pai,
O segundo seu irmão,
O terceiro foi aquele
Que a Tereza deu a mão.
Da laranja, quero um gomo.
Do limão, quero um pedaço.
Da morena, quero um beijo.
Da mulata, quero um abraço.


Dancinhas e brincadeiras
1. Renda de Bico
Saia rodada de renda de bico
Põe a laranja no chão tico-tico.
Se meu amor foi embora, eu não fico.
Põe a laranja no chão tico-tico.
Tico-tico foi-se embora,
Meu amor ta de tocaia.
Eu estou preso bem preso
Na roda da sua saia.


2. Onde está a Margarida
Onde está a Margarida,
olê, olê, olá.
Onde está a Margarida,
Olé, seus cavaleiros.
Ela está em seu castelo,
Olê olê, olá.
Ela está em seu castelo,
Olé, seus cavaleiros
Eu tirando uma pedra,
Olê, olê, olá.
Eu tirando uma pedra,
Olé, seus cavaleiros.


No final de tirar todas as meninas que seguram a cabeça da Margarida,todos gritam: "Margarida apareceu!" (três vezes)


3. Os Escravos de Jô
Os escravos de Jô
Jogavam caxangá.         (bis)
Tira, põe, deixa o Zé Pereira entrar.                    
Guerreiros com guerreiros
Fazem zigue, zigue, zá. (bis)


4. Passar Anel
Todos assentados. Passar o anel, bem escondido,em todas as mãos em palmas.Depois, perguntar a uma pessoa: - Com quem está o anel? Quem errar, paga uma prenda.


5. Chicotinho Queimado
Uma pessoa do grupo esconde um objeto conhecido por todos. Logo após, grita: Chicotinho queimado! Depois, vai observando onde os outros participantes procuram o objeto.Quando alguém está perto do objeto, a pessoa que o escondeu grita:
Tá esquentando!
Tá fervendo!
Tá queimando! Queimou! (se achou o objeto)


Quando os participantes estão afastados do objeto, a pessoa que o escondeu grita:
Tá frio!
Tá esfriando!
Tá gelado !


Paralendas
1.
Uma, duas angolinhas
Uma, duas angolinhas
Finca o pé na pampolina.


2.
O rapaz que faz o jogo,
Faz o jogo do capão.
Conta bem mané João .
Conta bem que vinte são
E recolhe este pezinho
Na conchinha de uma mão
Que já vai um beliscão.


Outra versão da brincadeira (falado):


1.
Pé de pilão,
Carne seca com feijão.
Milho debulhado,
Arroz com camarão.


2.
Vaca amarela
Pulou a janela,
Cagou na tigela.
Quem falar primeiro
Come tudo dela.


E todos ficarão calados. Quem falar ganha gozeira.


3.
Tirar Sardinha

Senta-se um de frente para o outro. Mãos estendidas sobre as do companheiro.Tentar bater nas costas da mão do adversário.


4.
Era no Era
No tempo do era,
Três melancias numa panela.
Três a mexer, três a lamber.
Quem falar primeiro,
Come toda a porcaria do mundo.
Fora eu, que sou cadeado do céu.
Um, dois, três


E todo mundo ficará calado.


5.
Cadê o Toucinho
Cadê o toucinho que estava aqui?
R. O gato comeu.
Cadê o gato?
R. Tá no mato.
Cadê o mato?
R. O fogo pegou.
Cadê o fogo?
R. Água apagou.
Cadê a água?
R. O boi bebeu.
Cadê o boi?
R. Tá massando trigo.
Cadê o trigo?
R. Galinha espalhou.
Cadê a galinha?
R. Tá botando ovo.
Cadê o ovo?
R. O frade bebeu.
Cadê o frade?
R. Tá dizendo missa.
Cadê a missa?
R. Tá dentro da caixa.
Cadê a caixinha?
Foi pro rio abaixo.


Villa Lobos deu valor e coleteu inúmeras músicas do folclore infantil nas suas viagens de pesquisa ao longo do território brasileiro. Identificou e codificou o cancioneiro infantil


Enviar link