Cultura

Entrevistas

Senac
  • Logo Senac Minas
  • Hotel Grogotó
  •  

Descubraminas 15 anos - Março 2017

  • Divulgação


No mês em que o Descubraminas comemora seus 15 anos, confira 15 entrevistas que marcaram a história do portal. Descubra os mineiros, de nascimento e de coração, que carregam o nome de Minas Gerais pelo Brasil e pelo mundo. Vale a pena ver de novo!


1 - Adélia Prado

“Ninguém é escritor porque se exercita. É o contrário, só pode exercitar-se quem possui o dom. Acredito que exercício pode melhorar atletas.”

Apesar de realizar viagens por causa do trabalho como escritora, Adélia Prado sempre morou em Divinópolis. Em suas obras, a escritora retrata o cotidiano, a espiritualidade e os aspectos lúdicos. Para a literatura brasileira, a poetisa representa a valorização do feminino nas letras e da mulher ativa na sociedade.


2 - Milton Nascimento

“Minha casa sempre foi muito musical. Ainda pequeno eu já tocava gaita e sanfona ao mesmo tempo. E então começou tudo.”

O cantor e compositor Milton Nascimento também já deu o ar da graça na galeria de entrevistados do Descubraminas. Criado em Três Pontas, Milton afirma que tudo que viveu na infância em Minas marcou a sua vida. O artista fala sobre suas marcantes canções, lembranças do Clube da Esquina e festivais de Música Popular Brasileira que já participou.


3 - Elke Maravilha

“Eu acho que a arte da vida, meu amor, não é viver, não. Viver qualquer micróbio vive. Eu acho que a grande arte é conviver.”

Elke não nasceu em Minas e nem no Brasil, mas foi no berço de Drummond, seu amigo de juventude, que ela descobriu que as diversidades também existiam por aqui e eram respeitadas pelo povo mineiro. Atriz, intérprete musical, apresentadora e modelo, Elke alcançou a fama pelas suas participações na televisão brasileira. Mineira de coração, a atriz nunca escondeu seu amor por Minas Gerais.


4 - Victor Dzenk

"Foi no Senac que aprendi a desenhar e a passar as ideias que estavam borbulhando na minha cabeça para a proporção do corpo de um croqui."

O mundo da moda também foi passarela para o Descubraminas. Em bate-papo com Victor Dzenk, o estilista fala sobre a importância da qualificação profissional na sua vida, a leveza, as cores marcantes e, claro, a valorização da silhueta feminina em seus trabalhos. Vale a pena conferir novamente o que nunca sai da moda em Minas.


5 - Beatriz Coelho

“As pessoas habilidosas fazem desastres horríveis em obras de arte porque não sabem cuidar da forma correta.”

Dedicada ao trabalho de restauração há 40 anos, a professora e restauradora Beatriz Coelho contou tudo sobre a arte de recuperar e preservar memórias. Idealizadora do primeiro centro regular de ensino de técnicas de restauração no Brasil, o Cecor, Beatriz trabalha pela preservação e conservação dos aspectos originais do patrimônio cultural brasileiro.


6 - Padre Fábio

“Nos andores de Minas as dores nos parecem bonitas. A religiosidade mineira esbarra o tempo todo no cenário do calvário.”

Espiritualidade, fé e mineiridade. Esses foram os temas que permearam o bate-papo do cantor, compositor, poeta, escritor e professor Padre Fábio de Melo. O sacerdote iniciou a carreira musical com um projeto independente com músicas tipicamente mineiras, o “Tom de Minas”, no qual faz homenagens a ninguém menos que Adélia Prado e Milton Nascimento.


7 - Marta Neves

“Agir diferente dos padrões é uma forma de viver, de dar conta da existência e continuar se alimentando de vida. Acho que a arte é muito esse alimento.”

Arte, cidade, ocupação do espaço urbano, obras controversas, vida de artista, vários pontos de vista... Assim é a obra da artista plástica Marta Neves e seu pensamento subversivo diante dos padrões sociais e culturais. Formada em Desenho e Cinema de Animação e mestre em Artes Plásticas, Marta é conhecida pelas obras polêmicas, que lhe renderam participações em grandes exposições dentro e fora do Brasil.


8 - Lindsay Paulino

“Se fizermos uma análise técnica do espetáculo, não existe piada pronta, as pessoas riem pela maneira como a Rose conta e vive a história.”

Sucesso no teatro, na internet e na televisão, Lindsay Paulino é conhecido por dar vida à personagem Rose, "a doméstica das bicha". O ator, que integra a nova geração de humoristas do Brasil, nasceu em Motes Claros e conta que a “Rose” do teatro é apenas um pretexto para que a história de Minas, especificamente de sua cidade natal, seja contada.


9 - Paula Pimenta

“Muitos adolescentes me contam que não gostavam de ler até terem contato com os meus livros, e que a partir deles passaram a ler de tudo!”

Para atender à crescente demanda de novos leitores, o portal conversou com a escritora infanto-juvenil Paula Pimenta. Natural de Belo Horizonte, Paula faz em seus livros muitas referências a Minas Gerais e explica de que maneira a cultura mineira interfere em sua carreira. A escritora retrata os personagens como os adolescentes de hoje e conta tudo sobre o que é preciso para se tornar um escritor.


10 - Leila Ferreira

“Eu acho que eu sou acima de tudo essa pessoa que foi criada no interior de Minas por uma família simples e que gosta das coisas simples da vida.”

Outra personalidade que enriqueceu a galeria do Descubraminas foi a jornalista Leila Ferreira. Natural de Araxá, Leila afirma que possui um excesso de mineiridade. Do Zé e da Maria, no interior do Estado, à Rainha Sílvia, no Palácio Real de Estocolmo, Leila teve a oportunidade de entrevistar e mostrar ao público a simplicidade das pessoas, independentemente das funções que desempenham.


11 - Angelo Machado

“Foi minha mãe quem descobriu meu gosto por inseto. Com apenas um ano e meio, ela me achou debaixo da cama comendo uma barata. Já gostava!”

Especialista em neuroanatomia, escritor, dramaturgo e apaixonado por insetos, em especial, libélulas... Engajado na militância ambiental, o professor Angelo Machado conta curiosas e divertidas histórias sobre sua vida e profissões. Com uma vasta bagagem, o imortal da Academia Mineira de Letras ainda encontra tempo para se dedicar aos filhos e netos dos outros...


12 - Fernanda Takai

“Tocar em casa traz caras mais conhecidas na plateia como amigos, fãs mais antigos e as nossas próprias famílias, claro!”

A timidez de Fernanda Takai é uma de suas marcas registradas. Com bagagem de quem tem décadas de estrada, a vocalista do Pato Fu admite ser uma legítima "mineira de coração" e não se acanha quando o assunto é sua carreira. Além da música, a artista se arrisca em outras vertentes com a mesma segurança com que se apresenta nos palcos de todo o País.


13 - Lô Borges

“Eu sou um cara que começou jovem, sou esforçado, comecei com um grande desafio, que foi quando o Milton me convidou para fazer o "Clube da Esquina".”

Outro representante do Clube da Esquina que também contou tudo sobre sua infância e adolescência no famoso bairro de Santa Tereza, na capital mineira, sua carreira e lembranças dos festivais de música dos anos 1970 foi Lô Borges. Esforçado e dedicado à composição, como ele mesmo se define, Lô acredita que essa seja a principal expressão de um artista.


14 - Leda Nagle

"Mineiro leva Minas no jeito, no gesto e no coração, mesmo quando parte de Minas, quando ganha o Brasil e às vezes o mundo".

Líder de um dos programas mais conceituados da televisão brasileira por muitos anos, a jornalista e escritora Leda Nagle falou ao portal sobre sua trajetória profissional, em especial a entrevista que fez com Carlos Drummond de Andrade. Com diversos trabalhos na bagagem, Leda ainda cultiva seu jeito mineiro de ser e prova que gosta mesmo é de um bom bate-papo.


15 - César Menotti e Fabiano

“O que nós mais gostamos em Minas, sem dúvida, é do seu povo, que é o mais hospitaleiro do país.”

Música sertaneja de raiz, shows lotados e muita alegria para toda a família. Os irmãos César Menotti e Fabiano, apesar de não serem naturais de Minas Gerais, se assumem mineiros de coração e percorrem o país levando suas músicas que falam de amor, fé e carinho pelo interior de Minas e pela capital mineira.

Enviar link

Outras entrevistas